quarta-feira, agosto 08, 2007

A grande vaia

frase do dia: "Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive.” - H. L. Mencken

Há um video muito bonito no Youtube sobre a grande vaia. Foram raros os vídeos políticos que vi recentemente que possuem uma boa edição. Já a apostar na conhecida preguiça de meus leitores (o que é uma bela desculpa para o tanto que ando escrevendo), deixo-o aqui de antemão, como um "resumo" do post anterior.

Falei que a classe média é quem realmente pensa sozinha. Quando a classe média vai contra uma idéia, outros membros da classe média passam a chamá-la de "elitista", independentemente de sua posição econômica. Esse vídeo confirma o que disse.

Não gosto de fazer propaganda alheia, mas essa merece. Não há partidos. Não há bandeiras. Não há motins. É isso que a imprensa e a classe média esquerdista chama de "golpista"? E o "Fora FHC e o FMI!", que possuía mais cartazes e bandeiras do PT, CUT, PC do B, PCO, PSTU e MST do que bandeiras vermelhas na Revolução Russa?

Não existe "golpismo". Existe insatisfação. A democracia prevê isso, ao dar voz a todos. E é uma atitude extremamente saudável, inteligente e íntegra estar contra os governantes - ou porque esse povo não via "golpismo" nas manifestações contra os tucanos ou no Impeachment de Collor?


Afinal, tadinho do governo...

Esse é o pensamento "burguês", que sempre adorei. Não está alienado nem pela falta, nem pelo excesso. É quem sofre com a Economia no bolso, mas ainda consegue se informar - quando quer.

A diferença, aqui, é nítida: agora, temos manifestações contra um partido, sem ninguém com bandeiras da "oposição golpista". Antes, tínhamos manifestantes com bandeiras, que diziam reclamar do governo quando, na verdade, reclamavam apenas de não estar no governo.

Nosso veneno se veste melhor.

Nenhum comentário: