terça-feira, julho 31, 2007

Ligue os pontos

Leitor, ligue os pontos:

Deu na Folha (Débora Bergamasco):

"Filme de Bruna Surfistinha pode captar R$ 4 milhões com leis de incentivo

O Ministério da Cultura liberou a captação de R$ 3.998.621,65, por meio de leis de incentivo fiscal, para a produtora carioca TV Zero rodar o filme "O Doce Veneno do Escorpião". A aprovação foi publicada no "Diário Oficial da União" de hoje. (...)"

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u312233.shtml


Isso é o que a ANAC exige de conhecimento de seus candidatos para o cargo de Técnico e Regulação de Aviação Civil - ANAC

"59 – A garota de programa Bruna Surfistinha tornou-se um dos maiores sucesso do mercado literário do Brasil em 2005 com o livro:

a) A pessoa é para o que nasce
b) O doce veneno do escorpião
c) O céu de Sueli
d) No quarto de um motel
e) Madame Satã"

fonte: http://www.nce.ufrj.br/concursos/anac/Provas_Gabaritos/tecnico/Atendimento%20-%20TATE.pdf


E, enquanto isso...

"Finalmente, o governo anunciou que comprará o ILS 3, sistema que permite pousos e decolagens em qualquer condição metereológica. Haverá um sistema desses em aeroportos de São Paulo, Rio, Brasília, Curitiba e Porto Alegre.

Sabe quanto custa cada sistema? A merreca de dois milhões de dólares. Total: 10 milhões.

O governo gastou essa mesma quantia para pôr no espaço o primeiro astronauta brasileiro - aquele que experimentou plantar brotos de feijão e que, na volta, abandonou a carreira militar para ganhar dinheiro na iniciativa privada."

...

Ligou? Pois bem, alguém mais aí acha que, além da prova da Anac não terminar com "Boa prova!", e sim com "Relaxa e goza!", também existe uma certa lógica desse governo ao foder com a gente?

sábado, julho 28, 2007

Governista, eu?

Enquete do site da revista Carta Estat... digo, Capital:


Pós-Pan O que impede o Brasil de sediar um evento maior

  • A falta de espírito esportivo da torcida

  • A precária infraestrutura do País

  • Há urgências maiores para se preocupar

...


Poxa? Não está faltando alguma opção mais simbólica, não? Algo como "um presidente que não mereça vaias"?

quinta-feira, julho 26, 2007

Ministro é demitido. Ué, a crise não era só invenção da imprensa?

Waldir Pires, ministro da Defesa, é mais um dos ministros a cair do governo que mais tem necessidade de expulsar ministros da história democrática brasileira.

Em seu discurso de despedida, Waldir culpa (adivinhem?) os governos anteriores e a mídia. Em entrevista ao portal Terra, disse que avisou o presidente: "Eu disse: 'presidente, há uma sanha para atingi-lo. Novamente se movem para atingir o senhor e seu governo, é a mesma sanha de sempre e, desta vez, me usam para este fim'." Disse se preocupar com "essa eleição que não quer terminar nunca" e com "essa insãnia que não aceita a decisão do povo".

Disse ainda que o Ministério não tem responsabilidade sobre a crise: "Isso pode vir a ser modificado, mas hoje o ministro não atua nesse setor".

Da Veja On-Line: "O governo caiu em contradição ao comentar a saída do ministro. Primeiro, disse que Pires havia anunciado que deixaria o cargo. Depois, que Lula pediu que ele entregasse o cargo. No discurso durante a posse de Nelson Jobim, o presidente disse duas vezes que Pires havia pedido para sair. Mas no fim da tarde, o Palácio do Planalto divulgou nota dizendo que 'a informação correta é que Waldir Pires solicitou a sua exoneração' a Lula."

Vamos entender mais um pouco da lógica de quem insiste em meter o pau na imprensa:

- Para eles, não existe crise aérea (é coisa de classe média, esses ingratos!), mas o governo diz que "vai tomar providências" depois do acidente. Oras, se não era da alçada do governo, continua não sendo, e se o governo não teve responsabilidades pelo acidente, poderia muito bem agora dizer: "Não vamos fazer nada de diferente, pois estávamos fazendo tudo certo! Vocês que se virem!"

- O ministro saiu do cargo sentindo-se "honrado". Pelo quê? Se ele foi demitido, não há uma razão para a demissão? Se ele pediu exoneração, foi por coincidência que isso aconteceu logo agora? Se os assessores de Lula movem os pauzinhos para suavizar o caso, não estão, novamente, querendo suavizar a imagem do governo, depois de fatos comprobatórios de inadimplência?

- Se o problema está em outros governos, qual foi o problema? Por que falar genericamente, e não apontar o dedo e dizer: "O ministro tal do governo tal errou em fazer ou deixar de fazer isso"?

- As autoridades nada podem fazer pelo sistema, mas tomarão todas as medidas possíveis. Bem, se é assim, já sabemos que não farão nada.

- Lula está, novamente, sofrendo ataques da mídia. O que a imprensa burguesa, golpista, reacionária e fascista, diante desses problemas, deveria então fazer? Culpar o capitalismo ou São Pedro?


A cada dia me convenço de que matar a classe média deve fazer parte do plano de distribuição de rendas do Pê Tê.

quarta-feira, julho 25, 2007

A culpa é sua

Entenda o pensamento livre, sensato e politicamente correto, que não se deixa influenciar pela mídia má:

Dois assessores presidenciais são flagrados "desonestamente" por um jornalista paparazzo (claro, se há jornalista ali por perto, era pra estar apontando pra qualquer janela, mas só mesmo sendo espião golpista que apontaria para a janela... do assessor do presidente da República) fazendo um gesto obsceno, gritando "Filho da puta" assim que William Bonner dá a notícia no Jornal Nacional.

De quem é a culpa? Do repórter golpista que filmou os dois.

João Brás Pereira, supervisor do aeroporto de Congonhas, junto com outros funcionários na Infraero, depois das 3 e meia da madrugada, são flagrados numa vista privilegiada dos escombros do acidente da TAM. Riam, apontavam para os escombros, faziam algum comentário e riam mais um pouco, até perceber estarem sendo fotografados.

De quem é a culpa? Dos fotógrafos, que têm o dever de preservar um homem digno.

Denise Abreu, diretora da Anac - Agência Nacional de Aviação Civil (dretora por quê?!), em 20/09/2006, diz aos parentes das vítimas do vôo da Gol, que colidiu com o jato Legacy: "Vocês são inteligentes. O avião caiu de 11 000 metros de altura. O que vocês esperavam? Corpos?"

De quem é a culpa? Da mídia golpista, que tinha a obrigação de não publicar uma frase dessas.

O aeroporto de Congonhas passa a aceitar aviões cada vez maiores, enquanto as autoridades reclamam, o Ministério Público pede intervenção da pista principal, a Aeronáutica pede desvio de rotas por excesso, a expansão demográfica faz casas estarem a cerca de 50 m de uma das cabeceiras do aeroporto (uma dessas que desabaram esses dias, diga-se).

De quem é a culpa? Das pessoas e da zelite, que insistem em existir e pagar impostos.


segunda-feira, julho 23, 2007

Cabeceira da pista de Congonhas desaba


deu no Globo (Luísa Brito):

"O talude (inclinação no terreno) da cabeceira da pista principal do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, sofreu um deslizamento de terra por volta 17h50 desta segunda-feira (23). A areia coberta de grama caiu sobre o muro que cerca a área do aeroporto. Até as 18h50, o deslizamento continuava em menor proporção.

Segundo o Corpo de Bombeiros, os taludes são feitos quando há um desnível em um terreno. O que teria levado ao desabamento, ainda de acordo com os bombeiros, foi o grande volume de chuva dos últimos dias."


Mais: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL75913-5605,00.html

...

Aproveitando a oportunidade para deixar as melhores frases sobre a crise aérea que já encontrei discutindo isso:

"Essa politização em cima do acidente já está me dando nauseas!" (sic)

"Congonhas é um aeroporto seguro. Sempre foi, haja vista que nunca aconteceu nenhuma tragédia por culpa das instalações do aeroporto."

"CAOS AÉREO! que CAOS AÉREO?"

E, agora:

"Desabou nada foi o Serra que mandou aumentara catástrofe com ajuda da midia" (sic)

Ah, o Serra que implodiu tudo. Agora entendi.

sexta-feira, julho 20, 2007

Razão x Emoção: Tecla SAP

frase do dia: "A morte não torna ninguém melhor do que é. Mas os corajosos brigam mesmo é com os vivos." - Reinaldo Azevedo (essa frase me ensina algumas coisas. tardiamente.)


Meus 4 leitores são preguiçosos. Vou fazer um resumão do dia (aproveitando que é sexta-feira sem programação noturna e não aconteceu muita coisa no dia, mesmo):

ACM morreu e, agora, todos os seus defensores lembram de sua atuação a favor da democratização pós-68, o racha na ARENA com Paulo Maluf (que preferiu a casca grossa), o movimento que elevou Tancredo Neves e, posteriormente, FHC (duvido muito que o PFL, à época, tenha feito tanta diferença, mas vá lá). A modernização da Bahia foi mérito seu, disso eu sabia. A manutenção do Feudalismo eleitoral e econômico, por outro lado, também foi. Nesse caso, poucos abriram a boca. Mas santo mesmo, nesse país, são sempre os políticos - é só pensar no Brizola: quando morreu, até a Globo o elogiou. Muito estranhamente, diga-se.

Duas centenas de pessoas também morreram e Lula finalmente saiu do seu minuto de silêncio de 3 dias. Seu discurso não atende à lógica: apela às emoções. Mas tem menos lógica do que o apelo às emções de seus assessores no vídeo do Jornal da Globo. Não usou plurais em demasia, como profetizei. Não tem problema: a mídia lulista parece ser mais Lula do que o próprio Lula. O presidente não se defende bem, precisa de alguém mais afeito à leitura para criar seus discursos. A imprensa governista são os expansores desses embusteiros criadores de palavras.

Uma tecla SAP em seu discurso:

O Aeroporto de Congonhas mudança do perfil - fará apenas vôos diretos e não atenderá mais a conexões, vôos executivos e fretados. Há 60 dias para a adaptação. (tradução: após 10 meses de crise aérea, numa "reunião de emergência", Lula pede urgência no que se recomendava fazer desde 2005);

A Anac sofrerá "fortalecimento da agência", para que atue mais em defesa do usuário. (tradução: bem, essa eu não entendi direito. "Fortalecimento"? Normalmente, isso significa algo como "criar vergonha na cara, contratar um bom pessoal e botar os incompetentes no olho da rua". No petismo, me parece signficar "mais gastança com o erário");

Em 90 dias, construir-se-á um novo aeroporto. (tradução: Lula, além de aprender a manter currais eleitorais com ACM e a ir comendo pela bordas como Gramsci - em breve falarei disso -, agora também aprendeu a fazer obras faraônicas de pouca serventia com Maluf. Foi como a reforma de Congonhas, onde se torrou uma fortuna com a lojas do aeroporto e menos de 10% com a segurança);

Como infra-estrutura, promete modernização do controle aéreo. (tradução: a mídia má, burguesa e golpista, estava certa);

As empresas agora terão de ter aeronaves de reserva para atender a emergências. (tradução: é, agora vamos resolver cumprir a lei, 390 mortos depois. Alguém mais aí pensou no Titanic?)

Lula também apelou à choradeira, disse-se profundamente consternado e emocionado. Chegou a dizer que sofre como pai, esposo e presidente. O que ser casado tem a ver com o acidente? Apele ao primeiro documento em cartório provando que você já se entregou de corpo e alma a alguém na vida, num passado remoto, e desculpe todos os erros do presente, é o que se quer dizer.

Pediu calma, ponderação e que não se acuse ninguém. Huummm... Peraí, eu disse que ele, por pressão, poderia até pedir algumas desculpas. Não pedu. Típico. E, agora, sem subterfúgios, avisa que não é para acusar ninguém. Bem, Era o que esperava que ele dissesse disfarçadamente. Disse na cara dura. Sem plurais. Continuamos no "vamos manter como está para ver como vai ficar".

Também mentiu sobre Congonhas, dizendo que a pista atende à todas as normas de segurança. O laudo mostra o contrário. Os pilotos também. O prédio da TAM em chamas, sobretudo. Agradeceu a todos, exceto ao governo de São Paulo, que organizou o resgate.

Vi, alhures, uma esquerdista afirmando sobre o governo paulista que, em 1995, o movimento Viva São Paulo conseguiu uma liminar para impedir as obras de ampliação de Congonhas. O governo federal (tucano) derrubou a liminar e mandou tocar as obras. A presidenta da organização hoje é responsável pela EMURB, da administração Serra/Kassab. A pessoa que a nomeou, Serra, era ministro do planejamento do governo que brigou para fazer as obras.

Agora, ela reclama de Serra, supostamente, estar "mudando de lado" e vociferando contra o que não teria defendido. Estranho. Ninguém reclama da Reforma em Congonhas. O que se reclama é de superfaturamento, de uma pista escorregadia, de pressões de companhias aéreas (TAM, sobretudo) em entregar a pista logo, mesmo sem plenas condições de uso.

Ninguém está querendo voltar à Idade da Pedra. O que não se quer são acidentes com centenas de vítimas.

O que podemos aprender com tudo isso? Voltamos a um antigo paradigma: não se deve agir com lógica e nem com ética, e sim com estética - seja a das flores ou a do horror e do medo.

Morre ACM

frase do dia: "Só duas siglas pegaram nesse país: JK e ACM." - Antônio Carlos Magalhães


Essa notícia me deixou meio puto. Calmaí: é que estou com o dedo coçando pra publicá-la logo e o velho só morre e ressuscita toda hora, pra provar que vaso ruim não quebra.

Toninho Malvadeza, um dos maiores caciques da política brasileira, finalmente foi pro brejo. Não que a situação em sua Bahia vá mudar em algo: em terra de curral eleitoral, apenas troca-se um por outro. Gedel Vieira Lima já está urubuzando a carreira de ACM.

Como prova de que o Brasil se divide em "oposição" e "situação", e não bem em "esquerda" e "direita", lembremos: ACM foi aliado dos militares pós-68, apoiou FHC, apoiou as eleições de Lula em 2002 quando este último já estava com o pleito ganho antes do início da campanha.

Toninho Malvadeza vai, e sem deixar saudade naqueles poucos que, de tão tontos, ainda acreditam que até a teimosia em manter os mesmos defeitos (e com orgulho!) pode ser vencida, quando suas benesses são tolhidas.

Apertem os cintos: fodeu!

frase do dia: "A estética precede a ética." - Sören Kierkegaard

Faço mais um vaticínio taciturno após a tragédia em São Paulo. O PT, finalmente, passou da linha vermelha (epa!) que indica que um partido, no bom óbvio lulante, está fodido.

O brasileiro orienta-se por estética, não por lógica. Apesar do PT operar sobre artimanhas anti-democráticas, coisa que nunca foi observada na maioria de seus adversários políticos (assassinato obscuro de prefeito; quebra de sigilo bancário; comitê para controlar imprensa; cassação de visto de jornalista americano; mensalão; compra de dossiê fajuto; tentativa de censura prévia televisiva), nada disso é capaz de fazer a população entender qual o problema com o Pê Tê.

A gastança pública desenfreada, os problemas com a OTAN, os inúmeros casos de corrupção que sobejavam no Partido Democrata também não foram suficientes para derrubar Clinton. O boquete da Mônica Chupinsky, contudo, quase acabou com sua vida pública e privada. Hilary o perdoou. O povo americano também. Mas isso é uma lição de risco. Quando somos acuados com sexo, a coisa mais delicada, pessoal e com significado mais pesado numa vida, as conseqüências são muito mais desastrosas do que esperamos. As feridas são muito profundas.

Duas centenas de vidas foram ceifadas com o acidente, e os restolhos de uma vida pública foram enterrados também: Marta Suplicy está fora do combate para todo o sempre. Pouco importou sua peruice, seu fracasso com as enchentes, seu insucesso e problemas com hospitais e raios na Zona Leste de São Paulo. O que mais importunou seus possíveis eleitores foi a arrogância, o descaso com seus erros, a falta de atitude frente ao que fez de errado e que poderia compensar de outra forma. Sua postura, como uma quase-santa, a enterrou para São Paulo.

Seu atestado de óbito eleitoral foi sua última gestão e sua indiferença, sua leviandade, sua insensibilidade que ultrapassa as raias da promiscuidade. Seu epitáfio, para garantir que está bem morta, foi seu "relaxa e goza". Aprendam, petralhas: brincar com o sexo próprio é orgásmico, mas tratar com truculência e insensibilidade o sexo alheio anula qualquer boa impressão que se possa ter do agente primeiro.

Marta está passada. Foi-se seu tempo em que poderia dizer asneiras em singelo tom de piada de sacanagem. Sua frase virou uma tragédia de sacanagem. Frases são importantes por conterem muito pensamento em poucas palavras - sua densidade supera muitos romances universais. São como armas: gostamos apenas quando é o cabo delas que aponta para nós.

Manoela D'Ávila é a nova patricinha bolchevique que ainda está jovem e pode se desculpar com a inexperiência e ingenuidade. Seu rostinho bonito, seu ar sapeca, sua contestação de nariz empinado e afinado são o próprio arquétipo da mulher que venceu na vida nas duas frentes mais ambicionadas e invejáveis: a beleza e a política - um misto de alguém que fode a gente com alguém que a gente adoraria foder. Marta não tem o mesmo sex appeal. O Ministério do Turismo foi sua menopausa política. Agora, seu epitáfio está escrito. Mors certa, solum tempus incertum est.

O Pê Tê corre sério risco. Por mais que suas obcenidades sejam muito menos dignas de confissão que suas ladroagens, que não toquem no órgão mais sensível do corpo humano (o bolso), tocam no que vai mais longe e se acabrunha primeiro - os olhos. Agora, estamos vendo tudo, em primeira mão. E a obscenidade prostibular continua.

William Bonner, no último JN, apontou que o avião estava com um dos reversores (usados para a freagem) desligados. Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República, junto com outro assessor, Bruno Gaspar, tão logo Bonner dá a notícia, comemoram o fato de que podem contar com essa para se livrar das responsabilidades do governo pela pista (apesar do manual da aeronave apontar que ela poderia voar com ele desligado por até 10 dias, ando pouco confiante na TAM, no imbróglio todo).

Marco Aurélio Garcia sorri e faz o conhecido gestou de "se fodeu", "vamos enfiar até o talo no rabo". Bruno Gaspar vocifera um quase audível "filho da puta", enquanto, mais sexualmente explícito ainda, puxa pelos quadris um ser humano imaginário. As imagens foram divulgadas pelo Jornal da Globo - e, claro, deduradas por este que vos fala:



Amanhã, provavelmente, Lula finalmente irá se pronunciar. É incrível que o maior homem público do país precise se preparar por 3 dias e todos considerem isso normal. Quem precisa de tanto tempo para se pronunciar sobre uma tragédia é quem tem parte da culpa por ela. Eu não precisei de tanto tempo.

Continuo apostando que Lula irá usar todos os plurais possíveis, como "erramos", como se alguém tivesse culpa pela pista de Congonhas e não pudéssemos apontar os culpados; dirá que todos têm sua parcela de culpa (incluindo eu e você, como já sentenciou a imprensa, vide post abaixo), e assim, não se culpará ninguém; dirá que fez tudo o que pode fazer - e agora, se tragédias daí decorrem, foda-se bem longe porque o assunto não é mais com ele.

Lula, quiçá, poderá até, sob pressão, fazer um pedido de desculpas. Como todas as pessoas que traem nossa confiança e nos causam decepções que fazem um azedinho subir à garganta, essas "desculpas" significam apenas: "já usei uma palavra mágica que resolve tudo, agora, nunca mais me falem disso e me isentem de toda a responsabilidade que eu tive até esse momento". Pornografia no cu dos outros é refresco.

quinta-feira, julho 19, 2007

Imprensa não-golpista

frase do dia: "Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive."- H. L. Mencken


Reclamam que a imprensa burguesa é "golpista". Que está sempre querendo ferrar os homens públicos. Eu reclamo do contrário: uma imprensa que não é golpista e não esteja querendo ferrar ninguém está fazendo propaganda, não jornalismo.

O papel da imprensa não é ser boazinha. Não é selecionar e proteger alguns. Não é esconder falcatruas. Imprensa serve para falar mal. A imprensa é o ápice da calúnia em sua forma civilizada. É o dedo-duro não-oficial (pois, novamente, não pode receber seu ganha-pão de que tem de dedurar). É o urubundsman do homem político.

Afirmei, anteontem, que logo iriam querer tirar a culpa de Lula. Ontem, os mesmos veículos presumíveis não cansaram de falar de excesso de velocidade do piloto. Nem lançaram outra alternativa. A "imprensa burguesa e golpista", de Veja a Estadão, de Reinaldo Azevedo a Patrícia Mello, comentou também sobre a velocidade do piloto. Não obstante, não esqueceu de lembrar sobre a pista de Congonhas, que os pilotos apelidaram de Holiday on Ice.

Estamos apontando culpados? Os especialistas já apontaram culpa do governo e da Infraero (e por que não? alguém confia nela depois dos últimos 9 meses, por acaso?). Ainda não sabemos quem é que pode ser indiciado por inadimplência, para abusar do eufemismo.

Gilberto Dimenstein, na Folha On Line, encontrou um culpado. Somos nós, é claro. Eu disse que Lula, provavelmente, usará o discurso "Onde foi que erramos", que usou no caso do PCC. Dimenstein se adiantou e proferiu, de antemão, esse discurso. A culpa não é de uma autoridade responsável pelos aeroportos - a culpa é nossa, que não interrompemos nossas tarefas diárias para ir verificar a aderência da pista de Congonhas.

Cito o final de seu curto depoimento:

"Vivemos um clima de guerra civil nas cidades porque não se prestou a atenção na educação, na inclusão de jovens e no aperfeiçoamento da segurança. Morrem milhares de crianças por falta de condições básicas de saúde, fáceis de serem atendidas. Estamos vendo a volta de doenças como tuberculose. A cada dia, só na cidade de São Paulo, morre um motoboy, vítima não só dele próprio, mas também da selvageria da falta de controle.

"Se formos olhar porque somos um país tão potencialmente rico mas tão pobre, veremos que temos tragédias evitáveis apenas porque deixamos para depois o conserto de uma pista."

Mais uma vez, a lorota de que temos crimes violentos por falta de Educação - sugiro filmar uma conversa entre Lula e Marcola, com Pasquale, Fiorin e Bosi na platéia, para apostarmos quem estudou mais.

Deixamos para depois o conserto de uma pista? Eu nunca viajei de avião na vida, e por razões pessoais nem é algo que eu pretenda fazer tão cedo. Pagando - e caro - para que as autoridades façam seu papel, se algo dá errado, é culpa da autoridade, não minha.

Eu não posso demitir Waldir Pires. Lula pode. Eu não posso trocar o comando da Infraero. Lula pode.

Quando não se quer encontrar um culpado, apela-se para uma suposta culpa de todos. E assim, novamente, sai mais uma de calabresa sem culpar ninguém.

Agradeça a Lula por Congonhas!

A Câmara Congresso americano fez um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente da TAM. Lula fez 48 horas.

O Congresso brasileiro não fez um minuto de silêncio pois está de recesso. Nosso bolso agradece.

Lula, que todos elogiam, falou nos debates com Alckmin, duas vezes, que devemos agradecê-lo por Congonhas. Falou-se do superfaturamento de R$100 milhões na Reforma. Lula disse que a obra nem tinha sido paga. Mentira. Lula só sabe mentir, seus eleitores só sabem acreditar. Ele próprio disse que aguardava parecer do TCU - que só emite parecer depois de efetuado o pagamento. E o que o laudo do TCU mostrou? Superfaturamento.

Enquanto isso, Observatório da Imprensa continua a insistir que é culpa das empresas privadas, que há lógica que foi tudo culpa do enxame da classe média que resolveu enriquecer (80% das viagens aéreas feitas no Brasil são realizadas a negócios), que a "mídia golpista" esconde dados, como uma suposta crise em todos os aeroportos do mundo. Balela, nós vimos.

Reparem na arrogância de Lula. Vocês agradecem por Congonhas? Foi ele o eleito com uma esmagadora maioria de votos. Como ele diz, o telespectador pode ficar tranqüilo: não sobrará pedra sobre pedra e tudo será apurado. O que poderia ser apenas uma piada agora é um efeito macabro. Divulguem.



Mais política na tragédia

frase do dia: "A culpa não é do presidente Lula; a culpa não é do presidente Lula." - Walfrido Mares Guia

Conforme prenunciado na madrugada de ontem, setores da situação já enxergam, com olhares de kadetes paranóicos, golpismo em qualquer visão política que se dê sobre a tragédia do vôo da TAM. Estamos nos precipitando vendo o lado político da questão? Mais alguns fatos.

Mais de 50 minutos após o acidente, a Infraero ainda não sabia:
- o nº do vôo - pensou no 5018, vindo de Porto Alegre (era o JJ3054);
- o tipo de avião - talvez um Airbus 320 (A320);
- quantos passageiros estavam no avião - talvez 170, lotação máxima (176, na verdade, sendo 155 passageiros);
- se algum carro foi acidentado na pista da disputadíssima Washington Luiz.

Na segunda-feira, um dia antes do acidente, um avião pequeno já havia derrapado na pista, e um avião da própria TAM, deslizado.

A pista de Congonhas foi recentemente reformada. Os pilotos reclamavam da falta de aderência. Hoje concluiu-se que a pista estava incompleta e sem condições para manobras sob chuva.

Conforme publicado neste blog ontem, o Governo já havia sido avisado do problema dos controladores e seus "pontos cegos". O acidente da Gol, que matou 154 pessoas, completa 10 meses no dia 30. O sistema produziu duas grandes tragédias num intervalo de 10 meses.

No dia 22/06, a CPI do Apagão Aéreo cobrou de Waldir Pires diálogo com controladores, enquanto Lula "cobrou providências". O presidente da Infraero disse que o fim-de-semana "será complicado". Membros da CPI consideraram atitude do Governo, frente à crise, "preocupante".

Nessa quarta-feira, Lula convocou um reunião de emergência para debater o acidente.

ATENÇÃO: O que se discute em uma reunião "de emergência", 2 anos após relatos sobre a segurança do controle de tráfego, quase 10 meses após o acidente da Gol, 9 meses após o início do caos aéreo, um dia após o acidente da TAM? Como posar para as câmeras? Como será seu discurso tirando o seu da reta? Marta Suplicy estava na reunião? (não encontrei nenhum pronunciamento seu na internet até o momento) Alguém mais aposta que seu primeiro pronunciamento oficial poderá conter as mesmas palavras usadas no caos urbano do PCC, lembradas por este escriba ontem? Lula, envergonhado pela vaia no Maracanã, nunca pareceu envergonhado dos aeroportos.

Quantas vezes Lula deu um prazo para resolver a crise aérea?

A Veja dessa semana, em sua primeira matéria "central" (após as frases da seção Veja Essa), traz a chamada Um Buraco Negro Chamado Sivam, sobre os pontos cegos do controle aéreo. Sete páginas antes, há uma manchetinha avisando que Lula pode privatizar setor aéreo, com uma foto de um avião aterrissando em... Congonhas, com a legenda Congonhas: sem dinheiro privado, o caos continua.

Veja, JN, Fantástico, Folha, Estadão, O Globo, Zero Hora, A Nova Corja foram alguns dos veículos a chamar a atenção para os aeroportos, nos últimos meses. Não encontrei palavra sobre o caos numa Carta Capital, Caros Amigos ou Hora do Povo. O Observatório da Imprensa, seguindo afirmações governistas, disse que a culpa era do "crescimento econômico". Claro, senhores. É só pensar em como são tumultuados os privados aeroportos do Primeiro Mundo.

Agora, setores e imprensa governistas também insistem em enxergar golpismo. Está-se politizando o que é uma fatalidade ou ligando-se pontos que vêm sendo debatidos há meses, e vinham sendo até mesmo poucos dias antes da tragédia?

O "jornalismo" lulista está insistindo na comparação de duas imagens de aviões fazendo manobras na pista - um leva 11 segundos, enquanto o avião do acidente leva 3. A primeira providência de quem tem a fé no partido sobre qualquer circunstância, por mais sangrenta que seja, é querer retirar qualquer responsabilidade sobre seus trabalhadores incompetentes. Agora, apostam que foi um erro do piloto estar tão acelerado. Aparentemente, em velocidade de arrematação.

Para fazer uma rápida retrospectiva de frases:

"Relaxa e goza, porque depois você esquece todos os transtornos."
- Marta Suplicy, ministra do Turismo, em uma assustadora crise de dondoquice e sorrindo de satisfação

"A crise é devida ao crescimento econômico."
- Guido Mantega, ministro da Fazenda, encontrando o perigo na classe média, que insiste em pagar impostos

"Investimos pouco. (...) Pedimos paciência."
- José Alencar, vice-presidente, ex-ministro da Defesa

"A culpa não é do presidente Lula; a culpa não é do presidente Lula."
- Walfrido Mares Guia, no Jornal Nacional de ontem (quarta)

quarta-feira, julho 18, 2007

A tragédia é política

Depois de tanta quizumba a respeito da, para abusar do eufemismo, infeliz frase da Ministra do Turismo sexual Marta Suplicy (ainda sonhando que deve concorrer ao governo do estado de SP), eis que quem fala o que quer, recebe o que não quer.

Um relatório sigiloso produzido pela Aeronáutica há dois anos e discutido quarta-feira na CPI do Apagão Aéreo aponta que o governo já sabia das falhas do controle de tráfego desde 2005. Como sempre, nada foi feito. Como sempre, querem despolitizar o tema. Como sempre, ouviremos Lula fazer voz de luto e dizer: "Onde foi que erramos?", como o fez no caos que o PCC incitou na maior cidade do Hemisfério Sul.

Bem, eu não errei em nada. Nem ninguém que eu conheça. Trabalhamos, estudamos, pagamos os nossos impostos - e, ainda, muitos não votaram nesse partido. Para que existe Ministério do Turismo? Para que colocar uma companheira (e "burguesa"!) de partido no Ministério, com qualificações nulas para o cargo ultra-bem-remunerado? Onde foi que o Ministério do Turismo errou, que nada fez? Estava preocupado com o quê? Se reuniu com quem? Fez o que de bom?

Há um bom tempo que se discute a privatização dos aeroportos. Os petistas, e os esquerdistas que os mantêm no poder, por sempre achar que é melhor um esquerdista incompetente do que u (cof, cof) "direitista" competente (e desde quando PT e PSDB se diferenciam em muita coisa?), continuam com um berreiro estatizante. Além de terem saudade da época em que se declarava "linha telefônica" no Imposto de Renda, agora pensam que é melhor ver um Estado causando mortes do que uma empresa lucrando para prestar serviços de qualidade à população.

O triste mesmo da história é que, além da "piada" que foi o relaxa e goza da Marta, quem não apenas sofre, mas quem morre por culpa de tramóias estatais e falta de trabalho de petistas que não deveriam estar em seus cargos é a população, que paga caro para perder a vida numa zona de caos. Outra vez, a azarada da vez foi a TAM, no mesmo Congonhas onde um Fokker seu caiu perto do aeroporto, e de onde outro Fokker seu decolou, sofreu uma explosão no ar e, mesmo assim, matou apenas uma pessoa, conseguindo aterrissar sem mais tragédias.

Não me surpreenderia se, não só em comunidades orkutianas, mas até capas de revistas semi-estatais, como a panfletagem mentirosa e perigosa de Mino Carta, apontassem teorias absurdas, querendo jogar a culpa no PSDB - a revista de Mino, no ano passado, ficou encimesmada com o comitê de propaganda do PSDB estar na sede da PF, no dia da prisão dos envolvidos no dossiê, e primeiro quis apontar supostas relações promíscuas dos tucanos com a Veja e a Globo (que, pecado dos pecados, mostrou imagens da dinheirama usada para a compra, enquanto Carta Capital batia na tecla de que comprar informação não era ilegal), mas, no número seguinte, quis vender a estapafúrdia idéia de que os próprios tucanos teriam crio tal dossiê. Agora, talvez inventem de que algum tucano encheu a pista de óleo para poderem jogar a culpa em Marta, tão trabalhadora e empenhada.

O PT, que de vermelho tem mais de assassino do que de vergonha na cara, dificilmente admitirá suas culpas. Tristeza maior ainda deles: documentos obtidos pelo jornal Zero Hora mostram que um avião da FAB (não o Aerolulla), levando Fernando Henrique Cardoso, esteve a 24 segundos de colisão com outro Fokker 100 da TAM (esses Fokkers precisam de uma benzedeira), levando 100 passageiros e cinco tripulantes, nos céus de Brasília em junho de 2002. Mas, petistas, não se preocupem: agora temos uma sexóloga nos ares para foder com nossas viagens.

(tanto o prefeito José Serra quanto a TAM confirmaram que o deputado federal Júlio Redecker, do RS, foi uma das vítimas do acidente. Aparentemente, nenhum outro político estava no vôo, que faria conexão com Brasília.)

domingo, julho 15, 2007

Relaxa e compra!

Já que estamos falando de censura e de Marta Suplicy, o próprio Lula retirou do ar, hoje, uma propaganda da Peugeot do tipo "promoções gozadas" ou "anúncios de mau gosto". Assim como no caso das vaias do Pan, algo de mau gosto, que poderia fazer a balança virar para o lado do PT, só gerou mais censura pelo conhecido modelo lulista.

Já que estamos dedurando tudo, segue a propaganda:

Petistas aprendem com Stálin e Chavez

frase do dia: "Se a oposição se desarmar, está tudo muito bem. Se ela se recusa a se desarmar, então devemos desarmá-la nós mesmos." - Stálin, Relatório Político do Comitê Central, 07.12.1927

Como se faz um governo "para o povo"?

A receita é fácil: mande o povo calar a boca e faço-o obedecer.

Liberdade de imprensa? Oras, quantas vezes, nesse país, desde a ditadura, vimos o Governo perseguir a imprensa? Collor o fez? Sarney o fez? itamar? FHC? Em contrapartida, quantos casos você é capaz de se lembrar do pascácio Lula e seus asseclas? Cassar visto de jornalista? Comitê de Imprensa? Censura prévia? Dá pra se sentir seguro num país assim? Liberdade de imprensa, assim como "evidência judicial", deve ser "um arcaico conceito burguês", como anunciava Che Guevara...

Lula foi vaiado sete vezes na abertura dos Jogos Pan-Americanos. Isso pode ser visto aqui, com mais teorias mirabolantes de Galvão Bueno aqui. Já que é pra falar de esportes, vemos também Lula receber o epíteto que juízes de futebol costumam receber por aqui. E temos mais vaias, até que, para poupar o mico que o presidente haveria de pagar, preferem trocar o enredo programado e ele deixa de fazer a abertura.

O mais pitoresco, contudo, é ver o tratamento dado ao, digamos, "incidente" pelo Jornal Nacional, a "mídia burguesa", os golpistas, os tucanos - como estes, sempre prontos a esconder e atenuar as falcatruas petistas, embora os "companheiros" neguem isso até a morte. Reparem como o JN exagerou na suavidade para apresentar o fenômeno:



Entretanto, como é de praxe no lulismo, qualquer comentário sobre as gafes presidenciais vira escândalo, como divulgar um segredo de Estado. Falam de uma tal "imprensa golpista", a tal "mídia má", cujo maior crime é trabalhar: ou seja, expor como a esquerda é pior do que a direita.

Agora, a mais nova: se alguém divulgar as imagens do tal "povo" vaiando o trombudo presidente, é uma falta de respeito tão grande que o resultado, copiando o modelo fascistóide da Venezuela é... cassar a concessão de exibição! Ou seja: vemos petistas, de peito estufado, querendo retornar à ditadura, só que piorada e mais linha-dura. O faux pas, para também abusar do eufemismo, acontece nas comunidades petistas do orkut.

A imprensa, para eles, só pode falar bem do Governo. Se não fizer propaganda, é golpista, suja, elitista, manipuladora e o melhor mesmo é ler revistas que sobrevivem com verbas públicas.

Querem rir? Tentem. Só para os corajosos - ou muito bem-humorados:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=86270&tid=2543361750886179223&start=1

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=2826730&tid=2543355533934355804&start=1

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=2826730&tid=2543379673807284939&start=1

Essa última mensagem, no melhor molde lulista, da trágica comunidade "Reelegemos Lula PT Presidente" (sic), contém apenas o título "Caçar concessão da Globo e de quem mostrar vaia." (caçar, petralha? Dá pra entender porque é petista...), com a singela mensagem

"Quem apoia?

Diga apenas EU."

prosseguida do "EU" próprio do pascácio e diversos outros.


Isso mesmo! Qual o grande crime da Veja, Globo, Estado de SP e outros veículos, ao contrário das santificadas e quase estatais Caros Amigos, Carta Capital e Hora do Povo? Isso mesmo: mostram a verdade dos fatos e a vontade popular. Democracia, para eles, é isso: propanga governamental, ou então, é atitude anti-democrática e merece ser punida ferozmente em nome do part... digo, da democracia.

Por um acaso, será que esses mesmos veículos que sofrem perseguição da censura bananística agora não deveriam também ser ameaçados, pelos mesmos arautos do politicamente correto petista, por exibir manifestações de "Fora FHC e o FMI!" na época em que os petralhas fechavam a Av. Paulista?

Alguém mais tem dúvida de que, assim como Che Guevara aderiu ao comunismo por causa de "papai Stálin", Lula e sua turba enfurecida beberia da mesma fonte... se algum dia aderissem à leitura?