segunda-feira, outubro 22, 2007

Um terço da bancada do PSOL - Um Terço!!

Pra não dizer que me afastei completamente da política enquanto a mudança não termina, eu... bem, irmãos, admito que pequei: estive lendo "A Hora do Povo" - eu tento não dar meus 80 centavos para o MR-8, mas dar risadas desse povo se matando pra livrar a cara do Renan enquanto ele "tira licença" (quo vadis, Domine?) é uma das poucas alegrias do dia...

O jornal que saiu sexta passada traz uma chamada curiosa na primeira página: Um terço da bancada do Psol (sic) já apóia CPI da Abril. Não que eu esteja muito preocupado com os fundos do Civita, mas como sei que essa CPI só serve de bode expiatório pró-PMDB e já foi linchada até mesmo por gente do Pê Tê...

Eis que vejo (!) a dita "reportagem": "Uma plenária dos apoiadores [?!] do deputado Ivan Valente (Psol/SP) aprovou, por unanimidade [!!], uma moção pela imediata instação da CPI para investigar a venda da empresa de TV a cabo TVA pelo grupo Abril para a Telefonica [sic]. Apesar de toda a bancada do Psol na Câmara (três parlamentares) ter assinado o requerimento pela investigação, Ivan foi valente [!!!] e o único a se posicionar publicamente para que os ilícitos [?!] sejam apurados imediatamente."

Ahn?! Cuma?! Um terço do Psol - ou seja, um terço de "três parlamentares" (ou seja mais ainda, um único zé-arruela que esperneia contra a "mídia golpista" num lugar onde ninguém gosta da mídia) e esse pasquim de quinta (ops, de terça e sexta) ainda comemora?! Eu esperava pelo menos uns 4 sósias de Raul Seixas para fazer a quizumba no cantinho deles...

Isso me lembra aquela maravilhosa cena do Coliseu em A Vida de Brian, do grupo inglês Monty Python, em que a Associação pela Libertação da Palestina se reúne (com seus 4 membros) para reclamar dos romanos, e lembra que os únicos que eles odeiam mais que os romanos são a Frente pela Palestina Livre - traidores! - ou seja: um velhinho sentado mais adiante...

De vez em quando, acho que tenho mais leitores nesse blog do que esses manifestantes do Psol (sic) em suas "atas" e "congressos".

(mais estulticocos com "A Hora do Povo" em breve - e logo, Regulas Defaecare™ com novo endereço, nova cara e até novos colaboradores!)

terça-feira, setembro 04, 2007

Mãe da ex-BBB Grazi Massafera recebe Bolsa Família

Não sei quem, mas deu n'O Globo:

Mãe da ex-BBB Grazi Massafera recebe Bolsa Família

A costureira Cleusa Soares Massafera, mãe da modelo, atriz e ex-BBB Grazielli Massafera, é uma das 3.204 beneficiárias do Bolsa Família em Jacarezinho, no norte do Paraná. O programa federal de transferência de renda é destinado a famílias em condição de extrema pobreza, mas Cleusa, que reside em uma casa de alto padrão que ganhou da filha em um dos bairros mais nobres de Jacarezinho, confirmou ter recebido repasses do Bolsa Família e do Auxílio Gás, conforme o relatório do site Portal da Transparência, da Controladoria Geral da União.

O valor dos auxílios somam R$ 45 e seriam destinados a famílias com renda mensal de R$ 60,01 a R$ 120,00 por pessoa. Grazi, além do contrato com a Rede Globo até 2010, recebeu um cachê de R$ 700 mil para posar nua na revista "Playboy" e faz cerca de três desfiles por mês, cobrando R$ 30 mil para pisar na
passarela ou aparecer em catálogos de moda. Estima-se também que, para ir a uma festa, a ex-BBB receba cachê de R$ 15 mil.

O cadastramento, fiscalização e controle do programa nos municípios são de responsabilidade das prefeituras.

...

Segundo o portal Terra, o benefício foi suspenso.


Mas será que a Surfistinha ganha o Bolsa Preservativo?

Não se envergonhe disso, Palóffi!

Já que o Pê Tê, após o STF ter mandado os 40 ladrões (mas não o Ali Babá) para o banco dos réus, ainda fez um churrasco em, ahn, "homenagem" aos bandoleiros, e Lula, cercado "de povo", apenas soltou uma nota dizendo que eles não tinham do que se envergonhar (!) - será que ele, se houvesse mais um debate eleitoral, ainda iria dizer que isso é algo pelo qual a oposição e os brasileiros precisam "agradecer" a ele? -, aqui vai uma "conversa de bastidores" sobre uma figura meio esquecida: Antônio Palocci.

O senhor Antônio Paloffi, irmão do Pedro, cunhado da dona Eliana, é médico sanitarista. Antes de se eleger prefeito, no começo da década de 90, vivia em um condomínio de prédios chamado Jardim das Pedras, no bairro Jardim Paulista (um condomínio com algumas irregularidades), bairro de classe média de Ribeirão Preto.

Após se tornar prefeito, o senhor Paloffi se mudou para uma casa na Lagoinha (um bairro residencial na periferia da cidade), na antiga parte nobre do bairro, salvo engano na rua Vicente Oranges. Hoje, sua mãe mora lá.

Ribeirão Preto tem uns surtos imobiliários, e isso é uma informação crucial para entender o que acontece em seguida. Paloffi logo depois se mudou para o Jardim Canadá, um bairro de casas grandes para onde todos os, digamos, abastados da cidade estavam se mudando. Isso durante a década de 90, com o dinheiro da prefeitura.

No mais, usou dois milhões de reais para construir um gramadinho perto da rodoviária que chamou de praça.

Há dois anos comprou o Hospital Ribeirânia, um dos melhores da cidade. Seu irmão é o diretor geral.

Bom, junte-se a isso a história do caso Buratti e é absurdamente visível que o cara enriqueceu com o dinheiro repassado pela empresa de coleta de lixo ribeirão-pretense, a Leão Leão... é tão difícil assim ligar os pontos?

Fofoca leve, mas é uma prova!

domingo, setembro 02, 2007

Questão de nomenclatura

Falando em nomes, o ex-tesoureiro do PL chama-se Jacinto Lamas. Piadinha auto-explicável.

Está sendo indiciado por lavagem de dinheiro (ehr... heheh... deixa pra lá), corrupção passiva e formação de quadrilha. Algo me diz que lá vem merda por aí.

Voltemos à programação normal.

Patrus QUEM?!?!

Você já ouviu falar em Patrus Ananias?

Eu sei que não, mas chute em alguma dessas hipóteses, estilo Fudest:

a) Patrus Ananias é um imperador romano que governou de 297 até 313 d. C., tendo sido derrotado pelos hunos na Batalha do Campos Cataláunicos.
b) Patrus Ananias é um personagem secundário nas histórias do Tio Patinhas, que apesar da inocência constantemente malogra os planos dos Irmãos Petralha, digo, Metralha.
c) Patrus Ananias é o maior traficante de mexirica e abacaxi da Guatemala.
d) Patrus Ananias é quem compete com Eros Grau pelo nome mais esquisito.
e) Patrus Ananias é o presidente do Brasil.


Escolheu a sua alternativa? Não vale colar!

Segundo a Folha, ou segundo o PT, ou segundo a Folha falando do PT, a hipótese mais próxima da realidade é a alternativa e.

O PT lançou uma lista de 4 "presidenciáveis", ainda que não caiam muito bem ao refinado gosto do Rei. Embora seja mais provável que o desgastado PT, que não tem moral pra nada e só se escora no eviterno carisma de Lula, apóie um candidato da base aliada - como o óbvio Ciro Gomes (PSB-CE) -, ainda há alguns ministros que sobreviveram no governo em que mais ministros caíram em toda a história do país.

Como todo petista adora falar mal dos tucanos, mas negam até a morte admitir que apóiam cidadãos de, digamos, reputação ilibada, como Delúbio Soares, José Genoíno, Marcos Valério, Duda Mendonça, Sílvio Pereira, Luiz Gushiken, Anderson Adauto, Professor Luizinho, João Paulo Cunha e o maestro José Dirceu, o homem pra quem um telefonema é um telefonema, os ministros sobreviventes são poucos.

As opções ficaram as seguintes: Marta Suplicy, ministra do Turismo sexual; Jacques Wagner, governador da Bahia; o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel; ou o ministro do Desenvolvimento Social - ele, o homem: ninguém menos que Patrus Ananias!!

A, digamos, "nova cúpula" do PT (porque os antigos foram todos acuados por denúncias de corrupção), como era de se esperar, aponta a velha guarda como culpada (ué, achei que isso fosse tudo invenção da mídia golpista!). Lula preferia Tarso Genro ou Dilma Rousseff (que tem um nome mais difícil de escrever que "Alckmin") no lugar de Marta, mas se for pra haver um ministro, o PT provavelmente apostará em Ananias.

Coordenador do Bolsa-Família (visto que Fome Zero só pede doações nos caixas do Banco do Brasil, e o Primeiro Emprego foi extinto por ineficiência exagerada), Patrus Ananias vai incrementar recursos em sua área.

Bem, já que até o supostamente ético e inteligente Palocci (mais comentários nos próximos posts) caiu, por mais uma "armadilha da imprensa burguesa" (envolvendo mais ataques à democracia e sexo selvagem), além do próprio Lula pouco resta de elegível no Pê Tê. O que o PT mais quer é puxar o Aécio pro PMDB e apoiar uma chapa Aécio-Ciro, enfraquecendo a tucanalha - embora, é claro, o PMDB não esteja nem aí pra essa idéia.

Agora, venhamos e convenhamos: até neguinho achar que o presidente da Casa Branca (e, logo, do mundo) pode ser um cara chamado Barack Hussein Obama, vá lá, é coisa de americano doidivanas. Mas achar que esse tal Potros pode ser presidente do Brasil... só em delírio petista, mesmo.

segunda-feira, agosto 27, 2007

Satisfação para Renan

Eu possuo diversas "fontes de notícias" para comentá-las com aprofundado embasamento filosófico (com o perdão lá da consuetudinária escassez de modéstia) por essas bandas.

Nunca escondi, entretanto, que meu principal exemplo foi sempre o blog do Reinaldo Azevedo - ainda em sua época de Primeira Leitura, e como fiquei feliz em vê-lo nas páginas da Veja logo que sua revista fechou as portas.

Mas nessa semana não sei se nada de novo no front surgiu, se só apareçam novas sobre velhas (como a investigação da PF sobre Renan Calheiros) ou se Tio Rei está mesmo preocupado com a jogada desesperada do futuro ex-líder do Senado, que acusa a TVA de fazer um "acordo ilegal" com a Telefonica para se tornarem sócias - e, assim, desqualificar as denúncias da Veja sobre seus bois vestidos com o velocínio de ouro.

Oras, Reinaldão, precisa mesmo gastar tanta saliva com quem não merece?! Já que essa acusão prescinde de provas, vemos que Renan é mais um que, à guisa do psicopata argentino Ernesto Che Guevara, considera os processos judiciais mera "frivolidade burguesa". Então, por que diabos se preocupar com isso para falar, oras bolas, de acusações que até mesmo já transitaram em julgado?!

Se há uma prova de que um negócio desses é legal é, obviamente, que Renan Calheiros, o homem dos bois de ouro, afirma que ela é ilegal, e vice-versa.

Precisa de mais?

sexta-feira, agosto 24, 2007

Chávez atrasa a Venezuela. Em meia-hora.

O orkut é mesmo uma coisa muito divertida. A inclusão digital faz com que pessoas muito pouco dadas às selvagens regras de civilização da classe média sejam vítimas de seus motejos venenosos em comunidades como Piores Perfis do Orkut, mas também vemos membros dessa mesma classe média falando mal da classe média e bradando sobre a "Venezuela livre" com Hugo Chávez.

Eu vivo dizendo que esse tal de Chávez falando espanhol é pior que reprise das Chiquititas. Mas agora temos uma prova definitiva de que Chávez atrasa a Venezuela.

Em meia hora.

Não sei quem, mas deu na Globo Notícias:


Hugo Chávez vai alterar o fuso horário da Venezuela em meia hora. Inicialmente marcada para janeiro de 2008, a mudança deve acontecer junto com o início do ano letivo, na terceira semana de setembro, segundo informou o ministro venezuelano da Ciência e Tecnologia, Héctor Navarro.

Com a mudança, a Venezuela passaria a ter 4 horas e 30 minutos a menos que o Meridiano de Greenwich (meridiano zero) e não mais 4 horas, segundo a imprensa venezuelana.


Com relação ao horário de Brasília, o território venezuelano passaria a ter 1 hora e meia de diferença (por exemplo: quando no Brasil for 10h, na Venezuela será 8h30). Para isto, a Venezuela passará a usar o Meridiano 66 como base e não mais o 60.

A mudança vai "melhorar o rendimento dos venezuelanos em suas atividades diárias", comentou Chávez em seu programa semanal, no último domingo (19).

Segundo o ministro Navarro, os custos da alteração no fuso "serão mínimos".

sexta-feira, agosto 17, 2007

7 Controladores de Tráfego Aéreo presos

Para apimentar um pouco o clima de urucubaca política na crise aérea, mais notícias quentes: 7 Controladores de Tráfego Aéreo podem ter sido presos em Manaus, por ordem judicial, mantidos incomunicáveis em celas de quartéis do Exército.

Verdade ou boato, é bom ficar de olhos abertos.

Segue ofício da ABCTA:

Ofício nº 07ABCTA2007 Brasília, 15 de agosto de 2007.

Senhor Presidente,

Através deste informo a Vossa Excelência que recebemos denúncias de esposas de Controladores de Tráfego Aéreo de Manaus de que sete controladores foram presos em quartéis do exército brasileiro, por determinação da justiça militar, sob acusação dos mesmos apresentarem perigo a ordem e a disciplina. Há denúncias de que alguns sargentos ficaram presos em locais sem condições dignas de habitação e sem recebimento de refeições, inclusive com a proibição de visitas de seus familiares para entrega de roupas e material de higiene pessoal.Informo-vos que estes militares já haviam sidos retirados de suas funções e transferidos para organizações que não prestam o serviço de suas respectivas especialidades, inclusive com transferências para outros Estados.
Atenciosamente,

Wellington Rodrigues
Presidente da ABCTA

A Vossa Excelência o Senhor
Dep. Marcelo Castro
Presidente da CPI da Crise Aérea.

sábado, agosto 11, 2007

Filhos da Petrossauro

Existe algo de podre no Reino das Bananas, e esse algo é a Petrobras.

Ontem, enquanto enfrentava os atemorizantes elevadores do prédio de Letras, ouvi típicos bolcheviques universitários conversando sobre algo que, se eles conseguissem fazer, seria a maior vitória da esquerda em uns 30 anos. Já quase saindo da sorumbática experiência do elevador, entendi a que se referiam: reestatizar a Vale.

Enquanto vemos a classe média (ops! quando ela reclama, se transforma em "a Zelite") reclamando de algo factível (a corrupção e incompetência do governo), vemos a esquerda, eternamente utópica, reclamando que uma empresa, que controlada pelo Estado estava na bancarrota, é considerada, hoje, uma das empresas mais lucrativas do mundo. Qual a vantagem da estatização? Nenhuma. Mas qual esquerdista liga para o mundo real? O que importa é que eles querem brincar de socialistas, mesmo quando não percebem.

Existem fundos de investimento de alto risco, hoje em dia. Coisa pra quem pode se arriscar a investir em algo e perder tudo, depois. Contudo, as possibilidades de lucro podem ser altíssimas, também. Há gente especializada nisso - é o chamado private equity (capital privado), que compra empresas mal-geridas, à beira do precipício, investe em infra-estrutura e administração e as revende por uma fortuna. O fundo americano Matlin Patterson comprou a Varig por 24 milhões e a revendou para a Gol por 320 milhões. Assim funciona num mundo liberal sem encheção do Estado.

Já com o Estado... bem, se há uma péssima gerência das despesas, tudo o que você pode fazer é aumentar impostos e fazer a população pagar pelo rombo. Já com administração privada, se uma empresa quebra, quem paga o pato é quem a quebrou. Nada mais justo.

A Petrobras já tem mais de 50% de capital privado. Os 50% restantes são um dos maiores perigos para o Brasil. Se ela vai mal, quem paga é o povo. Se ela vai bem, serve apenas para pagar os gastos infindáveis da máquina do Estado, além de tramóias partidárias. Para quem tem dúvidas, é só ver o vídeo abaixo.

O próximo filme político bombástico sobre a ditadura militar (deve ser o de número 247 desde que Lula chegou ao poder, todos comverbas da Petrobras, mesmo que sejam um fiasco no mercado e nunca ninguém os assista) chama-se Hércules 56, o nome do avião que levou 15 presos políticos para o México após o seqüestro do embaixador americano Charles Elbrick pelo grupo terrorista de extrema-esquerda MR-8.

O MR-8 tinha entre suas lideranças Franklin Martins, o homem que me fez parar de abreviar meu nome como F. Martins. Franklin Martins é aquele atual jornalista que Diogo Mainardi definiu como "José Dirceu até a morte" em sua coluna "Observatório da Imprensa". É aquele mesmo que, após mais algumas trocas de farpas com Diogo na imprensa, resolveu processá-lo. É aquele mesmo cujos amigos Kennedy Alencar e Paulo Henrique Amorim, sabiam, antes mesmo da defesa de Mainardi e da Editora Abril ser anexada ao processo, qual seria o resultado que o juiz daria em primeira instância, e quanto seria cobrado por sua honra (R$30.000,00). É aquele mesmo que, em mais mostras de estranhas ligações com o governo, ganhou um estranho carguinho público: Ministro da Comunicação Social (?) - pela primeira vez na história do país, a pasta é ocupada por um jornalista, numa clara quebra da ordem natural de fiscalização e isenção.

É o mesmo ex-líder do MR-8, grupo que ainda publica o pasquim mequetrefe "Hora do Povo", fazendo ameaças (de quê?) a Diego (sic) Mainardi em sua capa no meio do imbróglio na Justiça entre os dois: "Já o pequeno canalha perdeu apenas algum dinheiro. Sabemos o que o vil metal significa para certo tipo de pessoa. Ainda assim, ao que tudo indica ele está pedindo para perder algo mais. Pode ficar tranqüilo. Não faltarão almas pias para fazer a sua vontade”.

Esse é o seqüestrador. Entre os presos, quem encontramos? José Dirceu, aquele que anda armado desde os 19 anos, que só vai confessar em quem atirou quando passar dos 80 anos, ex-braço direito (epa!) e super-ministro de Lula, que está em campanha por "anistia" após sua cassação. O mesmo que recebeu bengaladas do curitibano Yves Hublet. O mesmo que se demitiu do cargo para não ter de suportar denúncias sobre a orquestração do mensalão e está inelegível até 2015.

Agora, ambos brilham nas telas. Aposto que professores de "humanidades" de tendência marxista farão muitos alunos assistir o filme. Prevejo como todos falarão da luta contra a ditadura, mas ninguém admitirá que o MR-8 e a ANL queriam implantar uma ditadura ainda mais sanguinária. Presumo que, com verbas do governo federal, estarão todos se defendendo, falando em "operações táticas" para dizer "seqüestro", e "libertação" para dizer "terrorismo".

Mas sei de uma coisa, leitor: todos estarão se defendendo. Com o seu dinheiro.

Alguém mais aí quer vender a Petrossauro?

quarta-feira, agosto 08, 2007

A grande vaia

frase do dia: "Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive.” - H. L. Mencken

Há um video muito bonito no Youtube sobre a grande vaia. Foram raros os vídeos políticos que vi recentemente que possuem uma boa edição. Já a apostar na conhecida preguiça de meus leitores (o que é uma bela desculpa para o tanto que ando escrevendo), deixo-o aqui de antemão, como um "resumo" do post anterior.

Falei que a classe média é quem realmente pensa sozinha. Quando a classe média vai contra uma idéia, outros membros da classe média passam a chamá-la de "elitista", independentemente de sua posição econômica. Esse vídeo confirma o que disse.

Não gosto de fazer propaganda alheia, mas essa merece. Não há partidos. Não há bandeiras. Não há motins. É isso que a imprensa e a classe média esquerdista chama de "golpista"? E o "Fora FHC e o FMI!", que possuía mais cartazes e bandeiras do PT, CUT, PC do B, PCO, PSTU e MST do que bandeiras vermelhas na Revolução Russa?

Não existe "golpismo". Existe insatisfação. A democracia prevê isso, ao dar voz a todos. E é uma atitude extremamente saudável, inteligente e íntegra estar contra os governantes - ou porque esse povo não via "golpismo" nas manifestações contra os tucanos ou no Impeachment de Collor?


Afinal, tadinho do governo...

Esse é o pensamento "burguês", que sempre adorei. Não está alienado nem pela falta, nem pelo excesso. É quem sofre com a Economia no bolso, mas ainda consegue se informar - quando quer.

A diferença, aqui, é nítida: agora, temos manifestações contra um partido, sem ninguém com bandeiras da "oposição golpista". Antes, tínhamos manifestantes com bandeiras, que diziam reclamar do governo quando, na verdade, reclamavam apenas de não estar no governo.

Nosso veneno se veste melhor.

Classe média e a dona Zelite

Dizem que "esquerda" e "direita" são rótulos já desgastados. Costumo dizer que, politicamente, querem dizer muito pouco (autoritarismos e democracias ocorreram sob ambas as égides), embora economicamente a diferença seja gritante.

Se a esquerda, seguindo a linha econômica marxista, prevê o Estado como um controlador das transmutações pecuniárias, em vistas de uma "distribuição igualitária de renda", as direitas, no mundo todo, confiam em linhas de controle mínimo de mercado, onde há momentos de crise freqüentes, acúmulo e perda de bens com o passar do tempo, especulação financeira, a tal da "desigualdade" e diversas outras palavras assustadoras, mas que permitem a evolução da sociedade.

Nesse aspecto, ser "de direita", atualmente, implica, cada vez mais, numa busca por um Estado mínimo e menos burocratização do mercado, a se iniciar por diversas privatizações. Ser "de esquerda", por outro lado, implica em maior controle estatal, planificação econômica, cerceamento à livre iniciativa e câmbio controlado, dentre outras coisas. O que é a "extrema-direita" econômica são as políticas de privatização acelerada, com um Estado de pulso firme mas atuação reduzida - como segurança ou meio-ambiente -, enquanto a "extrema-esquerda" preza o modelo castrista, chavista, stalinista e de diversos outros líderes que optaram pelo mais completo controle estatal.

Não à toa que o Nazismo, indo contra o liberalismo econômico em diversos aspectos, tanto perseguiu os judeus que controlavam as instituições financeiras na Europa, e mesmo hoje organizações (neo-)nazistas são vigorosamente contra o neoliberalismo. O Nacional-Socialismo aproveitou o formato de "S" da suástica para imprimir seu Socialismo - apesar do suposto capitalismo nos países dos fascismos do séc. XX, as empresas podiam ter autonomia especulativa, mas nunca produtiva - é só analisar como a República de Weimar controlou a produção, de alimentos até armas, em indústrias como Bosch, Volkswagen ou Bayer.

No Brasil não se lê Weber, Irving Kristol, Paul Wolfowitz ou Francis Fukuyama. No máximo, estudantes de Economia, que são um caso a parte. No Brasil também não se lê Marx, mas todos o seguem como crentes seguem Jesus sem entender suas parábolas. Karl Marx foi um pensador muito importante, que tirou a filosofia das torres de ébano e a trouxe para a realidade mais abjeta. No entanto, seu modelo econômico foi uma dura crítica ao capitalismo europeu pós-Revolução Industrial, e nada mais. Este mesmo país que grita "Fora FMI e o neoliberalismo!" desconhece o Consenso de Washington.

Para isso, há uma diferença entre ricos e pobres. Quem diferencia? A classe média, que está no meio. Quem é a classe média? É a imensa maioria da população produtiva do país. Em grandes centros urbanos, a maioria absoluta das pessoas é de classe média. São aqueles que você maie encontra espremidos nos metrôs, aqueles que lêem livros de auto-ajuda e vão em centros espíritas, que lêem jornais e assistem Big Brother, compram no shopping e pechincham na quitanda.

A classe média sempre foi assim. É sua prerrogativa mais deliciosa: não vive num afetado e irreal mundo de privadas de ouro como os gigantes empreendedores internacionais, não anda de helicóptero, não vai passar um fim-de-semana na Grécia quando se deprime. Anda de ônibus, conhece muita gente pobre, se indigna com a fome na África, não entende lhufas de Bolsa de Valores, quebra todos os limites de cheque especial e empréstimos bancários.

É a classe que mais lê. As grandes revoluções mundiais, que foram orquestradas por pensadores, tiveram "os do meio" como massa de manobra - é só pensar na Revolução Francesa. É a classe, afinal, com mais liberdade de pensamento. Isso implica que, ao contrário do proletariado e da "elite dominante", pensa com liberdade e não se entende nunca. Já viu alguém criticando a classe média? Eu já. E todos eles eram de classe média. Quando começa a pensar em teorias mais globais, com visão "de fora", não se importa em ir contra si própria. Quem lê o Estadão é a classe média. Quem lê Caros Amigos, também. Na maioria das vezes, ganham o mesmo.

Como se diferencia o pensamento "de esquerda" e "de direita" aqui? Parece complicado. Pelo IBGE, existe um "piso salarial" para a classe média "alta": R$3.800,00. Ajuda? Não: Conforme publicou a Folha, existem mais "pobres" (5,9 milhões) andando de avião do que “ricos” (5,6 milhões). Ao contrário do que diz a esquerda, não é um problema da dona Zelite... É gente cheia de contas pra pagar que padece nos aeroportos. Sem falar em quantos seres estão a falar em comunismo de dentro de seus BMWs e com o diploma de Direito na parede...

Porém, se alguém da classe média tende à direita, é "reacionário", "burguês" (cof, cof) e "elitista". Se alguém ganha até mais, acumula mais capitais, mas tende à esquerda, perde todos esses adjetivos. Assim é que se pensa. O que chamam de "elite dominante" pode ser a econômica, que é muito pequena, ou o pensamento que chamam "elitista", que é um pensamento de classe média, também se matando para pagar o aluguel. Mas só é elitista quando é dos outros...

É fácil encontrar quem é de esquerda: são aqueles que acreditam que, se algo deve mudar, deve mudar através do Estado. Se algo há errado, o Estado deve intervir. Se alguém perde dinheiro, é culpa do Estado (ou melhor, do partido dos outros). Se alguém ganha dinheiro demais, é mais um cacique da Zelite que deve ser combatido.

O nível de controle da esquerda é tamanho que, quando está no poder, não importa em qual democracia, confunde os votos que recebeu com o próprio anseio da população. Mistura governo com partido. Sempre. Um exemplo bem claro aconteceu nessa semana: a manifestação vaiando Lula.

Quem sabe fazer manifestação no Brasil? A esquerda, sempre a confundir seus ideais com seu partido. Alguém pode se lembrar de alguma manifestação "Fora FHC!" que não tenha sido organizada por algum sindicato, que não tenha tido diversas bandeiras do PC do B, PCO, PSTU e PT (o PSOL inexistia, ainda)? Nem eu. Contudo, a classe média, ou melhor, "a zelite dominante" fez sua manifestação anti-Lula, dessa feita.

O que era de se esperar? Bandeirolas do PSDB e do DEM para todos os lados? Não. Uma pessoa tentando distribuir bandeiras tucanas foi vaiada junto com Lula, em São Paulo. Esse é o estilo "burguês", classe média, de ser: está sempre sozinho, sem assistência do Estado, mas sempre é quem pensa e quem critica. Quem está na luta contra ditaduras injustificadas e contra a corrupção. E não precisa de um partido ou um veículo de comunicação para organizar sua indignação, como acontece com a esquerda mequetrefe e sua turba enfurecida.

Qual foi a resposta de um membro da classe média esquerdista? Obviamente, sentiu que falavam com o PT. E, como sempre, tomou as dores de seu partido, acreditando que este partido, agora de situação, ganhou uma espécie de poder absolutista dos deuses. Agora, quer acreditar que, para se criticar Lula, é necessário ser tucano. Como se o PSDB fossem "de direita"...

Foi criada uma "sátira" à campanha do "Cansei", da OAB. O título no Youtube é "CANSADOS" DE CONTAR DINHEIRO E SONEGAR IMPOSTOS SEUS VIADOS (sic). A classe média sabe pensar sozinha, sem hastear a bandeira de um partido. Mas acaso a esquerda sabe? Vejam com seus próprios olhos.



Fazer algo por suas próprias mãos, sem pedir ajuda ao Estado. Deu pra entender o que é "direita", agora?

segunda-feira, agosto 06, 2007

Estamos obrando para melhor atendê-los

Meus queridos leitores,
Regulas Defaecare em breve estará de cara e endereço novo, haja visto que obriguei muita gente a fazer até a terceira aula da magnífica lingva latina para decorar o nome deste estimado blog.
Enquanto obramos para melhor atendê-los, aproveitem a magnífica entrevista concedida no post abaixo, e, para manter em dia meu sagrado e ótimo mau humor, lego-lhes uma piadinha marota:
Jeito PT de responder perguntas
Lula foi a uma escola conversar com as criancinhas, acompanhado de uma comitiva. Depois de apresentar todas as maravilhosas realizações de seu governo, disse às criancinhas que iria responder perguntas.
Uma das crianças levantou a mão e Lula perguntou:
- Qual é o seu nome, meu filho?
- Paulinho.
- E qual é a sua pergunta?
- Eu tenho três perguntas. A primeira é: "Onde estão os milhões de empregos prometidos na sua campanha presidencial?". A segunda é: "Quem matou o Prefeito Celso Daniel?". E a terceira é: "O senhor sabia dos escândalos do mensalão ou não?".
Lula fica desnorteado, mas neste momento a campainha para o recreio toca e ele aproveita e diz que continuará a responder depois do recreio. Após o recreio, Lula diz:
- OK, onde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem perguntas?
Um outro garotinho levanta a mão e Lula aponta para ele.
- Pode perguntar, meu filho. Como é seu nome?
- Joãozinho, e tenho cinco perguntas. A primeira é: "Onde estão os milhões de empregos prometidos na sua campanha presidencial?". A segunda é: "Os gastos com o cartão de crédito de D. Marisa são pagos pelo governo?". A terceira é: "O senhor sabia dos escândalos do mensalão ou não?". A quarta é: "Porque o sino do recreio tocou meia hora mais cedo?". A quinta é: "Cadê o Paulinho?!".
...
Vejo vocês em breve, meus 4 fiéis leitores.

sexta-feira, agosto 03, 2007

Dois controladores de voo explicam o caos aéreo

As informações veiculadas sobre a crise aérea e o acidente com o avião da TAM estão num caminho desconexo, entre o extremo técnico (com termos como grooving e aquaplanagem, e até Paulo Henrique Amorim filosofou sobre a aderência da pista de Congonhas) e o teorético (como Marilena Chaui afirmar ter visto um jornalista televisivo dizer que o governo havia matado duas centenas de pessoas), deixando o leigo, sem trocadilhos, a ver navios.

Dois controladores de tráfego aéreo procuram destrinchar algumas sendas tortuosas na seguinte entrevista. São eles Ney Dubourcq Araujo, controlador aposentado do Rio de Janeiro, com 28 anos de serviços prestados, e CTA Sfair, pseudônimo de outro controlador ainda na ativa após 30 anos de profissão, que prefere se manter no anonimato dada a verve contundente de suas denúncias, tendo respondido recentemente por isso a um IPM (Inquérito Policial Militar).

Segue um esclarecedor retrato da crise.


Regulas Defaecare Muita da "culpa" da crise aérea, que já dura mais de 9 meses, foi atribuída à falta de obediência dos controladores de vôo. O que pode ser esclarecido a esse respeito, tendo em vista que pouco ou nada se ouviu dos próprios controladores?
Ney Dubourcq Araujo É preciso entender que a mídia só passou a ter acesso mais abrangente aos bastidores do Serviço de Proteção ao Vôo brasileiro após o acidente envolvendo o Boeing da Gol e o Legacy de matrícula norte-americana.
Entretanto, posso assegurar que a crise surgiu como consequência de uma “bola de neve” que vinha se avolumando há muitos anos. Quando a bola de neve atingiu dimensões insuportáveis, ceifando vidas humanas, a capacidade de resistência dos Controladores se esgotou.

CTA Sfair O fato é que o Controlador de Tráfego Aéreo não recebe nenhum apoio jurídico, psíquico ou qualquer tipo de informação por parte da Aeronáutica no caso de acontecer um acidente. Apenas recebem ordens de não falar nada, até que seja dada essa opção, para não envolver o governo em situações comprometedoras. O CTA (Controlador de Tráfego Aéreo), independentemente de ser militar ou civil, é largado sem nenhuma orientação para responder a processos. Por isso que os CTAs resolveram se associar e, no caso do civis, a se sindicalizar, para poder ter esse apoio que nunca foi dado aos profissionais.

Ney A despeito do reconhecimento de responsabilidade no acidente por parte também do órgão de controle que tinha sob sua responsabilidade as duas aeronaves envolvidas, seria injusto não se fazer um retrospecto mostrando os vários fatores contribuintes para um final tão infeliz.

CTA Sfair Vários foram os fatores que contribuíram para aquela fatalidade. Poderia citar pelo menos 3:

1 – O software tem problemas na sua arquitetura devido a ter sido concebido com especificações inadequadas à operação, pois em nenhum momento da
confecção do software os sargentos e civis controladores são questionados. Então pega-se um oficial que não é o mais talhado para essa finalidade e faz-se especificações, que mais tarde terão que ser corrigidas pelo pessoal operacional (CTAs), que informará à chefia a necessidade de muitas correções naquilo que já se está usando na prática, no tempo real, para ajudar a controlar os aviões. Isso leva tempo, muito tempo para ser feito e mais dinheiro, muito mais dinheiro para se incluir uma alteração.

O software contribuiu e muito com a seguinte falha: a etiqueta da aeronave na tela do radar levava o CTA a acreditar que o avião estava em um nível de vôo em que não estava. E isso já vinha sendo apontado, bem antes do acidente, como um fator contribuinte em um possível acidente. E aconteceu. Era uma não-conformidade da sua especificação. E ainda não foi consertada essa falha, e nem as outras tantas já informadas há muito tempo à Aeronáutica e à empresa ATECH, que produziu e faz as alterações.

Por isso não é cabível o serviço prestado ser militarizado, pois o CTA depende desta ferramenta para poder prestar um serviço seguro à aviação, e quando ele faz muitas restrições aos equipamentos, é ordenado que ele se cale e continue a trabalhar sob pena de ser preso como agitador terrorista, entre outras coisas.

2 – Os CTAs recém saídos das escolas de formação não poderiam estar trabalhando em Centros de Controle de Área (ACCs), pois esse locais exigem que se tenha muita experiência para se trabalhar. Os CTAs primeiramente teriam que passar por períodos de trabalho em uma Torre de Controle para ganhar experiência, e depois de alguns anos, quando esse CTA já estiver seguro e com as normatizações já bem estabelecidas em sua rotina, é que se poderia pensar em enviar esse CTA para trabalhar em um Centro de Controle de Área ACC. Nem todo CTA de torre será um dia um CTA de ACC ou de Terminal APP [emulador terminal de serviços que centraliza operações de controle].

3 – Os equipamentos estavam falhando na sua detecção, não mostravam na tela o que deveria estar sendo mostrado, falhando por várias vezes, e também as freqüências, pois foi tentado um contato com o avião americano e não foi possível.

Para mim, o fator que mais contribuiu para o acidente foi o fato de os pilotos americanos terem desligado o transponder [aparelho que recebe e transmite ondas em uma frequência pré-determinada]. Se o transponder estivesse ligado, o acidente não teria ocorrido, pois o equipamento conhecido como TCAS [Traffic Collision Avoidance System, sistema anti-colisões que monitora o espaço ao redor do avião em busca do sinal de aeronaves com tranponder] teria comandado as curvas anti-colisão, mesmo que os pilotos não o fizessem, para ambas as aeronaves.

Ney Dentre as várias restrições à qualidade da prestação de nossos serviços de tráfego aéreo, aponto uma das de maior peso em todo o contexto: o jugo militar, particularmente no controle de tráfego aéreo. Não é difícil compreender os motivos. Os controladores, militares em sua maioria, não são culpados por serem compulsados a exercer, simultaneamente, duas funções diametralmente opostas: a militar e a técnica. Para a primeira, o suboficial ou sargento é moldado para cumprir ordens, sem questionamentos. Para a segunda, o técnico é formado para dar instruções e autorizações de tráfego aéreo, as quais, em nosso caso, têm um caráter determinativo. Além disso, os órgãos de controle são chefiados por militares que, não poucas vezes, são indicados para a função pela patente, e não necessariamente pela capacidade técnica.

Disso resulta um fato que, pelo meu prisma particular, repercute diretamente na qualidade do serviço prestado: o chefe, como oficial militar, comanda, em lugar de gerenciar. Controle de tráfego aéreo requer criatividade no gerenciamento e na operação, sob pena de a atividade fim ser negligenciada.

CTA Sfair Apenas citarei um fato que mostra a negligencia destes, pois é notório que existe uma grande falta de controladores de tráfego aéreo para ocupar os principais Centros de Controle, Controles de Aproximação e Torres de Controle de Aerodromos: Há 21 anos não se formava profissionais CTAs civis do grupo Dacta para essa atividade - eu disse 21 anos.

RD O presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, segundo relatos de confidentes, teria dito que ocupa mais um mandato-tampão, e que a Infraero não controla nada quem manda mesmo são as empresas aéreas. Os senhores têm alguma informação sobre a burocratização do setor?
Ney
Desconheço tal declaração do presidente da Infraero. De qualquer modo, não creio que as empresas aéreas tenham tanto poder assim. E não esqueçamos que a cultura militar se impõe também sobre elas.

RD A ANAC foi criada em substituição ao DAC (Departamento de Aviação Civil), que era um órgão ocupado apenas por profissionais da área. A ANAC, por outro lado, é controlada e dirigida por pessoas de outros setores, muitos que chegaram ali por indicação. Há, numa prova da ANAC, inclusive, uma questão sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. A ANAC pode efetuar um bom serviço, ou urge revogar a lei de sua criação e reconstruir o DAC?
Ney
A meu ver, o problema surgido com a criação da ANAC não foi a desmilitarização, ainda que parcial, e sim a má escolha dos técnicos que assumiram a direção da agência. É óbvio que esta tem condições de prestar excelentes serviços, desde que devidamente adequada à nossa realidade técnico-operacional.

CTA Sfair Todos que ali estão hoje na ANAC e Infraero com cargos de chefia são indicados pelo governo, em todos os altos escalões – são ex-brigadeiros, ex-coronéis etc. – pessoas que pertencem aos partidos que apoiam o governo, e os técnicos antigos que detinham a experiência e a vivência neste setor foram colocados em segundo plano e não atuam nas decisões dos altos escalões. Aí está acontecendo tudo que estamos vendo: decisões erradas e sempre conturbadas quando se deve prestar esclarecimentos nas horas fatais. Erros em cima de erros.

RD E quanto ao Ministério da Defesa, criado em 1999 e que nunca foi ocupado por alguém gabaritado no assunto?
Ney –
No meu ponto de vista, Nelson Jobim oferece excelentes perspectivas.

CTA Sfair Mas vamos esperar para ver se existe comprometimento. O governo pode continuar a tapar buracos, ou, realmente, pela primeira vez, teremos um ministro de Estado da defesa aérea que terá a coragem de fazer as transformações que são necessárias.

No seu primeiro pronunciamento [Jobim] deixou claro que agora quem manda é ele, e quem não estiver satisfeito pode pular fora. Isso foi um recado para todos, inclusive aos ministros militares.

Acho que a solução mais adequada para o que estamos vivenciando no setor aéreo está além da compreensão e do esforço de uma única instituição. Conclamamos o governo federal a chamar os grupos representativos da área de transporte aéreo: SNA, SNTPV, SNEA, INFRAERO, ABAG, FAB – que já faziam parte do Grupo de Trabalho Interministerial (GTI), acrescidos agora da Sociedade Brasileira de Pesquisadores de Transporte Aéreo (SBTA) – que congrega as maiores inteligências do país na área afetada –, da Associação de Pilotos e Proprietários de Aviões (APPA), da Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo (ANDEP), além da própria FEBRACTA.

É o único caminho responsável, acreditamos.

O único problema é que o PT já enxergou que, se Jobim fizer tudo o que se espera desta pasta, e resolver pelo menos em parte o caos aéreo, ele possivelmente será o candidato a presidente pela sua conduta e pela governabilidade que adquiriu à vista da população. Só que ele é do PMDB. Então não sei até que ponto o governo quer que tudo isso seja resolvido pelo PMDB.

RD – A ANAC foi criada por proposta do Executivo em 2000, ainda sob a égide do governo FHC. Muito se reclama, também, do laxismo de outros governos. A crise aérea no Brasil tem raízes antigas? Houve descaso nesse governo e em outros?
Ney
Talvez tenha existido laxismo por parte dos governos, na medida em que não cumpriram o dever de supervisionar e fiscalizar a influência negativa do jugo militar na proteção ao vôo em nosso país. Quanto às raízes antigas que conduziram o Brasil à chamada “crise aérea” atual, na resposta à primeira pergunta falei alguma coisa a respeito. Claro que outros importantes fatores contribuíram para a presente situação, como, por exemplo, a não correspondência da tecnologia existente com o crescimento vertiginoso da aviação em nosso espaço aéreo.

RD – Muitos incidentes vêm sendo notificados nos aeroportos, nos últimos tempos, mas alguns só ganharam veiculação depois do acidente da TAM (como o incêndio no aeroporto Santos Dumont). Eles são freqüentes ou só ganharam notoriedade depois da crise?
Ney Verdade seja dita: incidentes de tráfego aéreo (não incluo neste contexto o incêndio no aeroporto Santos Dumont) sempre foram freqüentes em nosso espaço aéreo. O que ocorria era que, muitas vezes, não eram reportados pelas partes envolvidas ou, quando relatados noutras oportunidades, os relatos não eram encaminhados aos órgãos competentes. Hoje é diferente, com o acesso da imprensa aos bastidores militar-operacionais.

CTA Sfair Como supervisor técnico e operacional posso afirmar que os acidentes acontecem todos os dias, mas só vão a conhecimento da população quando há vítimas.

RD – O sistema de controle de vôos, há tempos, tem sua eficiência questionada. Algumas declarações esparsas, encontradas na mídia, parecem indicar que isso nunca aconteceu dessa forma, e o problema tem poucos anos de existência. Os senhores podem falar algo sobre isso?
CTA Sfair -
Isso vem sendo relatado há muitos anos nos livros de ocorrências operacionais dos órgãos de controle de tráfego séreo. Todos os dias são feitos relatos de inoperâncias de equipamentos, de freqüências que não funcionam como deveriam, de radar com problemas, de CTAs com problemas de saúde, de software com problemas, de acidentes que quase resultaram em fatalidades.

RD – É seguro viajar de avião, hoje?
Ney
Eu continuo viajando, sempre que necessário, e sem medo.

CTA Sfair Sim, confio e muito no serviço prestado por esses profissionais, que dão o sangue todos os dias para manter essa estrutura funcionando.

terça-feira, julho 31, 2007

Ligue os pontos

Leitor, ligue os pontos:

Deu na Folha (Débora Bergamasco):

"Filme de Bruna Surfistinha pode captar R$ 4 milhões com leis de incentivo

O Ministério da Cultura liberou a captação de R$ 3.998.621,65, por meio de leis de incentivo fiscal, para a produtora carioca TV Zero rodar o filme "O Doce Veneno do Escorpião". A aprovação foi publicada no "Diário Oficial da União" de hoje. (...)"

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u312233.shtml


Isso é o que a ANAC exige de conhecimento de seus candidatos para o cargo de Técnico e Regulação de Aviação Civil - ANAC

"59 – A garota de programa Bruna Surfistinha tornou-se um dos maiores sucesso do mercado literário do Brasil em 2005 com o livro:

a) A pessoa é para o que nasce
b) O doce veneno do escorpião
c) O céu de Sueli
d) No quarto de um motel
e) Madame Satã"

fonte: http://www.nce.ufrj.br/concursos/anac/Provas_Gabaritos/tecnico/Atendimento%20-%20TATE.pdf


E, enquanto isso...

"Finalmente, o governo anunciou que comprará o ILS 3, sistema que permite pousos e decolagens em qualquer condição metereológica. Haverá um sistema desses em aeroportos de São Paulo, Rio, Brasília, Curitiba e Porto Alegre.

Sabe quanto custa cada sistema? A merreca de dois milhões de dólares. Total: 10 milhões.

O governo gastou essa mesma quantia para pôr no espaço o primeiro astronauta brasileiro - aquele que experimentou plantar brotos de feijão e que, na volta, abandonou a carreira militar para ganhar dinheiro na iniciativa privada."

...

Ligou? Pois bem, alguém mais aí acha que, além da prova da Anac não terminar com "Boa prova!", e sim com "Relaxa e goza!", também existe uma certa lógica desse governo ao foder com a gente?

sábado, julho 28, 2007

Governista, eu?

Enquete do site da revista Carta Estat... digo, Capital:


Pós-Pan O que impede o Brasil de sediar um evento maior

  • A falta de espírito esportivo da torcida

  • A precária infraestrutura do País

  • Há urgências maiores para se preocupar

...


Poxa? Não está faltando alguma opção mais simbólica, não? Algo como "um presidente que não mereça vaias"?

quinta-feira, julho 26, 2007

Ministro é demitido. Ué, a crise não era só invenção da imprensa?

Waldir Pires, ministro da Defesa, é mais um dos ministros a cair do governo que mais tem necessidade de expulsar ministros da história democrática brasileira.

Em seu discurso de despedida, Waldir culpa (adivinhem?) os governos anteriores e a mídia. Em entrevista ao portal Terra, disse que avisou o presidente: "Eu disse: 'presidente, há uma sanha para atingi-lo. Novamente se movem para atingir o senhor e seu governo, é a mesma sanha de sempre e, desta vez, me usam para este fim'." Disse se preocupar com "essa eleição que não quer terminar nunca" e com "essa insãnia que não aceita a decisão do povo".

Disse ainda que o Ministério não tem responsabilidade sobre a crise: "Isso pode vir a ser modificado, mas hoje o ministro não atua nesse setor".

Da Veja On-Line: "O governo caiu em contradição ao comentar a saída do ministro. Primeiro, disse que Pires havia anunciado que deixaria o cargo. Depois, que Lula pediu que ele entregasse o cargo. No discurso durante a posse de Nelson Jobim, o presidente disse duas vezes que Pires havia pedido para sair. Mas no fim da tarde, o Palácio do Planalto divulgou nota dizendo que 'a informação correta é que Waldir Pires solicitou a sua exoneração' a Lula."

Vamos entender mais um pouco da lógica de quem insiste em meter o pau na imprensa:

- Para eles, não existe crise aérea (é coisa de classe média, esses ingratos!), mas o governo diz que "vai tomar providências" depois do acidente. Oras, se não era da alçada do governo, continua não sendo, e se o governo não teve responsabilidades pelo acidente, poderia muito bem agora dizer: "Não vamos fazer nada de diferente, pois estávamos fazendo tudo certo! Vocês que se virem!"

- O ministro saiu do cargo sentindo-se "honrado". Pelo quê? Se ele foi demitido, não há uma razão para a demissão? Se ele pediu exoneração, foi por coincidência que isso aconteceu logo agora? Se os assessores de Lula movem os pauzinhos para suavizar o caso, não estão, novamente, querendo suavizar a imagem do governo, depois de fatos comprobatórios de inadimplência?

- Se o problema está em outros governos, qual foi o problema? Por que falar genericamente, e não apontar o dedo e dizer: "O ministro tal do governo tal errou em fazer ou deixar de fazer isso"?

- As autoridades nada podem fazer pelo sistema, mas tomarão todas as medidas possíveis. Bem, se é assim, já sabemos que não farão nada.

- Lula está, novamente, sofrendo ataques da mídia. O que a imprensa burguesa, golpista, reacionária e fascista, diante desses problemas, deveria então fazer? Culpar o capitalismo ou São Pedro?


A cada dia me convenço de que matar a classe média deve fazer parte do plano de distribuição de rendas do Pê Tê.

quarta-feira, julho 25, 2007

A culpa é sua

Entenda o pensamento livre, sensato e politicamente correto, que não se deixa influenciar pela mídia má:

Dois assessores presidenciais são flagrados "desonestamente" por um jornalista paparazzo (claro, se há jornalista ali por perto, era pra estar apontando pra qualquer janela, mas só mesmo sendo espião golpista que apontaria para a janela... do assessor do presidente da República) fazendo um gesto obsceno, gritando "Filho da puta" assim que William Bonner dá a notícia no Jornal Nacional.

De quem é a culpa? Do repórter golpista que filmou os dois.

João Brás Pereira, supervisor do aeroporto de Congonhas, junto com outros funcionários na Infraero, depois das 3 e meia da madrugada, são flagrados numa vista privilegiada dos escombros do acidente da TAM. Riam, apontavam para os escombros, faziam algum comentário e riam mais um pouco, até perceber estarem sendo fotografados.

De quem é a culpa? Dos fotógrafos, que têm o dever de preservar um homem digno.

Denise Abreu, diretora da Anac - Agência Nacional de Aviação Civil (dretora por quê?!), em 20/09/2006, diz aos parentes das vítimas do vôo da Gol, que colidiu com o jato Legacy: "Vocês são inteligentes. O avião caiu de 11 000 metros de altura. O que vocês esperavam? Corpos?"

De quem é a culpa? Da mídia golpista, que tinha a obrigação de não publicar uma frase dessas.

O aeroporto de Congonhas passa a aceitar aviões cada vez maiores, enquanto as autoridades reclamam, o Ministério Público pede intervenção da pista principal, a Aeronáutica pede desvio de rotas por excesso, a expansão demográfica faz casas estarem a cerca de 50 m de uma das cabeceiras do aeroporto (uma dessas que desabaram esses dias, diga-se).

De quem é a culpa? Das pessoas e da zelite, que insistem em existir e pagar impostos.


segunda-feira, julho 23, 2007

Cabeceira da pista de Congonhas desaba


deu no Globo (Luísa Brito):

"O talude (inclinação no terreno) da cabeceira da pista principal do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, sofreu um deslizamento de terra por volta 17h50 desta segunda-feira (23). A areia coberta de grama caiu sobre o muro que cerca a área do aeroporto. Até as 18h50, o deslizamento continuava em menor proporção.

Segundo o Corpo de Bombeiros, os taludes são feitos quando há um desnível em um terreno. O que teria levado ao desabamento, ainda de acordo com os bombeiros, foi o grande volume de chuva dos últimos dias."


Mais: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL75913-5605,00.html

...

Aproveitando a oportunidade para deixar as melhores frases sobre a crise aérea que já encontrei discutindo isso:

"Essa politização em cima do acidente já está me dando nauseas!" (sic)

"Congonhas é um aeroporto seguro. Sempre foi, haja vista que nunca aconteceu nenhuma tragédia por culpa das instalações do aeroporto."

"CAOS AÉREO! que CAOS AÉREO?"

E, agora:

"Desabou nada foi o Serra que mandou aumentara catástrofe com ajuda da midia" (sic)

Ah, o Serra que implodiu tudo. Agora entendi.

sexta-feira, julho 20, 2007

Razão x Emoção: Tecla SAP

frase do dia: "A morte não torna ninguém melhor do que é. Mas os corajosos brigam mesmo é com os vivos." - Reinaldo Azevedo (essa frase me ensina algumas coisas. tardiamente.)


Meus 4 leitores são preguiçosos. Vou fazer um resumão do dia (aproveitando que é sexta-feira sem programação noturna e não aconteceu muita coisa no dia, mesmo):

ACM morreu e, agora, todos os seus defensores lembram de sua atuação a favor da democratização pós-68, o racha na ARENA com Paulo Maluf (que preferiu a casca grossa), o movimento que elevou Tancredo Neves e, posteriormente, FHC (duvido muito que o PFL, à época, tenha feito tanta diferença, mas vá lá). A modernização da Bahia foi mérito seu, disso eu sabia. A manutenção do Feudalismo eleitoral e econômico, por outro lado, também foi. Nesse caso, poucos abriram a boca. Mas santo mesmo, nesse país, são sempre os políticos - é só pensar no Brizola: quando morreu, até a Globo o elogiou. Muito estranhamente, diga-se.

Duas centenas de pessoas também morreram e Lula finalmente saiu do seu minuto de silêncio de 3 dias. Seu discurso não atende à lógica: apela às emoções. Mas tem menos lógica do que o apelo às emções de seus assessores no vídeo do Jornal da Globo. Não usou plurais em demasia, como profetizei. Não tem problema: a mídia lulista parece ser mais Lula do que o próprio Lula. O presidente não se defende bem, precisa de alguém mais afeito à leitura para criar seus discursos. A imprensa governista são os expansores desses embusteiros criadores de palavras.

Uma tecla SAP em seu discurso:

O Aeroporto de Congonhas mudança do perfil - fará apenas vôos diretos e não atenderá mais a conexões, vôos executivos e fretados. Há 60 dias para a adaptação. (tradução: após 10 meses de crise aérea, numa "reunião de emergência", Lula pede urgência no que se recomendava fazer desde 2005);

A Anac sofrerá "fortalecimento da agência", para que atue mais em defesa do usuário. (tradução: bem, essa eu não entendi direito. "Fortalecimento"? Normalmente, isso significa algo como "criar vergonha na cara, contratar um bom pessoal e botar os incompetentes no olho da rua". No petismo, me parece signficar "mais gastança com o erário");

Em 90 dias, construir-se-á um novo aeroporto. (tradução: Lula, além de aprender a manter currais eleitorais com ACM e a ir comendo pela bordas como Gramsci - em breve falarei disso -, agora também aprendeu a fazer obras faraônicas de pouca serventia com Maluf. Foi como a reforma de Congonhas, onde se torrou uma fortuna com a lojas do aeroporto e menos de 10% com a segurança);

Como infra-estrutura, promete modernização do controle aéreo. (tradução: a mídia má, burguesa e golpista, estava certa);

As empresas agora terão de ter aeronaves de reserva para atender a emergências. (tradução: é, agora vamos resolver cumprir a lei, 390 mortos depois. Alguém mais aí pensou no Titanic?)

Lula também apelou à choradeira, disse-se profundamente consternado e emocionado. Chegou a dizer que sofre como pai, esposo e presidente. O que ser casado tem a ver com o acidente? Apele ao primeiro documento em cartório provando que você já se entregou de corpo e alma a alguém na vida, num passado remoto, e desculpe todos os erros do presente, é o que se quer dizer.

Pediu calma, ponderação e que não se acuse ninguém. Huummm... Peraí, eu disse que ele, por pressão, poderia até pedir algumas desculpas. Não pedu. Típico. E, agora, sem subterfúgios, avisa que não é para acusar ninguém. Bem, Era o que esperava que ele dissesse disfarçadamente. Disse na cara dura. Sem plurais. Continuamos no "vamos manter como está para ver como vai ficar".

Também mentiu sobre Congonhas, dizendo que a pista atende à todas as normas de segurança. O laudo mostra o contrário. Os pilotos também. O prédio da TAM em chamas, sobretudo. Agradeceu a todos, exceto ao governo de São Paulo, que organizou o resgate.

Vi, alhures, uma esquerdista afirmando sobre o governo paulista que, em 1995, o movimento Viva São Paulo conseguiu uma liminar para impedir as obras de ampliação de Congonhas. O governo federal (tucano) derrubou a liminar e mandou tocar as obras. A presidenta da organização hoje é responsável pela EMURB, da administração Serra/Kassab. A pessoa que a nomeou, Serra, era ministro do planejamento do governo que brigou para fazer as obras.

Agora, ela reclama de Serra, supostamente, estar "mudando de lado" e vociferando contra o que não teria defendido. Estranho. Ninguém reclama da Reforma em Congonhas. O que se reclama é de superfaturamento, de uma pista escorregadia, de pressões de companhias aéreas (TAM, sobretudo) em entregar a pista logo, mesmo sem plenas condições de uso.

Ninguém está querendo voltar à Idade da Pedra. O que não se quer são acidentes com centenas de vítimas.

O que podemos aprender com tudo isso? Voltamos a um antigo paradigma: não se deve agir com lógica e nem com ética, e sim com estética - seja a das flores ou a do horror e do medo.

Morre ACM

frase do dia: "Só duas siglas pegaram nesse país: JK e ACM." - Antônio Carlos Magalhães


Essa notícia me deixou meio puto. Calmaí: é que estou com o dedo coçando pra publicá-la logo e o velho só morre e ressuscita toda hora, pra provar que vaso ruim não quebra.

Toninho Malvadeza, um dos maiores caciques da política brasileira, finalmente foi pro brejo. Não que a situação em sua Bahia vá mudar em algo: em terra de curral eleitoral, apenas troca-se um por outro. Gedel Vieira Lima já está urubuzando a carreira de ACM.

Como prova de que o Brasil se divide em "oposição" e "situação", e não bem em "esquerda" e "direita", lembremos: ACM foi aliado dos militares pós-68, apoiou FHC, apoiou as eleições de Lula em 2002 quando este último já estava com o pleito ganho antes do início da campanha.

Toninho Malvadeza vai, e sem deixar saudade naqueles poucos que, de tão tontos, ainda acreditam que até a teimosia em manter os mesmos defeitos (e com orgulho!) pode ser vencida, quando suas benesses são tolhidas.

Apertem os cintos: fodeu!

frase do dia: "A estética precede a ética." - Sören Kierkegaard

Faço mais um vaticínio taciturno após a tragédia em São Paulo. O PT, finalmente, passou da linha vermelha (epa!) que indica que um partido, no bom óbvio lulante, está fodido.

O brasileiro orienta-se por estética, não por lógica. Apesar do PT operar sobre artimanhas anti-democráticas, coisa que nunca foi observada na maioria de seus adversários políticos (assassinato obscuro de prefeito; quebra de sigilo bancário; comitê para controlar imprensa; cassação de visto de jornalista americano; mensalão; compra de dossiê fajuto; tentativa de censura prévia televisiva), nada disso é capaz de fazer a população entender qual o problema com o Pê Tê.

A gastança pública desenfreada, os problemas com a OTAN, os inúmeros casos de corrupção que sobejavam no Partido Democrata também não foram suficientes para derrubar Clinton. O boquete da Mônica Chupinsky, contudo, quase acabou com sua vida pública e privada. Hilary o perdoou. O povo americano também. Mas isso é uma lição de risco. Quando somos acuados com sexo, a coisa mais delicada, pessoal e com significado mais pesado numa vida, as conseqüências são muito mais desastrosas do que esperamos. As feridas são muito profundas.

Duas centenas de vidas foram ceifadas com o acidente, e os restolhos de uma vida pública foram enterrados também: Marta Suplicy está fora do combate para todo o sempre. Pouco importou sua peruice, seu fracasso com as enchentes, seu insucesso e problemas com hospitais e raios na Zona Leste de São Paulo. O que mais importunou seus possíveis eleitores foi a arrogância, o descaso com seus erros, a falta de atitude frente ao que fez de errado e que poderia compensar de outra forma. Sua postura, como uma quase-santa, a enterrou para São Paulo.

Seu atestado de óbito eleitoral foi sua última gestão e sua indiferença, sua leviandade, sua insensibilidade que ultrapassa as raias da promiscuidade. Seu epitáfio, para garantir que está bem morta, foi seu "relaxa e goza". Aprendam, petralhas: brincar com o sexo próprio é orgásmico, mas tratar com truculência e insensibilidade o sexo alheio anula qualquer boa impressão que se possa ter do agente primeiro.

Marta está passada. Foi-se seu tempo em que poderia dizer asneiras em singelo tom de piada de sacanagem. Sua frase virou uma tragédia de sacanagem. Frases são importantes por conterem muito pensamento em poucas palavras - sua densidade supera muitos romances universais. São como armas: gostamos apenas quando é o cabo delas que aponta para nós.

Manoela D'Ávila é a nova patricinha bolchevique que ainda está jovem e pode se desculpar com a inexperiência e ingenuidade. Seu rostinho bonito, seu ar sapeca, sua contestação de nariz empinado e afinado são o próprio arquétipo da mulher que venceu na vida nas duas frentes mais ambicionadas e invejáveis: a beleza e a política - um misto de alguém que fode a gente com alguém que a gente adoraria foder. Marta não tem o mesmo sex appeal. O Ministério do Turismo foi sua menopausa política. Agora, seu epitáfio está escrito. Mors certa, solum tempus incertum est.

O Pê Tê corre sério risco. Por mais que suas obcenidades sejam muito menos dignas de confissão que suas ladroagens, que não toquem no órgão mais sensível do corpo humano (o bolso), tocam no que vai mais longe e se acabrunha primeiro - os olhos. Agora, estamos vendo tudo, em primeira mão. E a obscenidade prostibular continua.

William Bonner, no último JN, apontou que o avião estava com um dos reversores (usados para a freagem) desligados. Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República, junto com outro assessor, Bruno Gaspar, tão logo Bonner dá a notícia, comemoram o fato de que podem contar com essa para se livrar das responsabilidades do governo pela pista (apesar do manual da aeronave apontar que ela poderia voar com ele desligado por até 10 dias, ando pouco confiante na TAM, no imbróglio todo).

Marco Aurélio Garcia sorri e faz o conhecido gestou de "se fodeu", "vamos enfiar até o talo no rabo". Bruno Gaspar vocifera um quase audível "filho da puta", enquanto, mais sexualmente explícito ainda, puxa pelos quadris um ser humano imaginário. As imagens foram divulgadas pelo Jornal da Globo - e, claro, deduradas por este que vos fala:



Amanhã, provavelmente, Lula finalmente irá se pronunciar. É incrível que o maior homem público do país precise se preparar por 3 dias e todos considerem isso normal. Quem precisa de tanto tempo para se pronunciar sobre uma tragédia é quem tem parte da culpa por ela. Eu não precisei de tanto tempo.

Continuo apostando que Lula irá usar todos os plurais possíveis, como "erramos", como se alguém tivesse culpa pela pista de Congonhas e não pudéssemos apontar os culpados; dirá que todos têm sua parcela de culpa (incluindo eu e você, como já sentenciou a imprensa, vide post abaixo), e assim, não se culpará ninguém; dirá que fez tudo o que pode fazer - e agora, se tragédias daí decorrem, foda-se bem longe porque o assunto não é mais com ele.

Lula, quiçá, poderá até, sob pressão, fazer um pedido de desculpas. Como todas as pessoas que traem nossa confiança e nos causam decepções que fazem um azedinho subir à garganta, essas "desculpas" significam apenas: "já usei uma palavra mágica que resolve tudo, agora, nunca mais me falem disso e me isentem de toda a responsabilidade que eu tive até esse momento". Pornografia no cu dos outros é refresco.

quinta-feira, julho 19, 2007

Imprensa não-golpista

frase do dia: "Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive."- H. L. Mencken


Reclamam que a imprensa burguesa é "golpista". Que está sempre querendo ferrar os homens públicos. Eu reclamo do contrário: uma imprensa que não é golpista e não esteja querendo ferrar ninguém está fazendo propaganda, não jornalismo.

O papel da imprensa não é ser boazinha. Não é selecionar e proteger alguns. Não é esconder falcatruas. Imprensa serve para falar mal. A imprensa é o ápice da calúnia em sua forma civilizada. É o dedo-duro não-oficial (pois, novamente, não pode receber seu ganha-pão de que tem de dedurar). É o urubundsman do homem político.

Afirmei, anteontem, que logo iriam querer tirar a culpa de Lula. Ontem, os mesmos veículos presumíveis não cansaram de falar de excesso de velocidade do piloto. Nem lançaram outra alternativa. A "imprensa burguesa e golpista", de Veja a Estadão, de Reinaldo Azevedo a Patrícia Mello, comentou também sobre a velocidade do piloto. Não obstante, não esqueceu de lembrar sobre a pista de Congonhas, que os pilotos apelidaram de Holiday on Ice.

Estamos apontando culpados? Os especialistas já apontaram culpa do governo e da Infraero (e por que não? alguém confia nela depois dos últimos 9 meses, por acaso?). Ainda não sabemos quem é que pode ser indiciado por inadimplência, para abusar do eufemismo.

Gilberto Dimenstein, na Folha On Line, encontrou um culpado. Somos nós, é claro. Eu disse que Lula, provavelmente, usará o discurso "Onde foi que erramos", que usou no caso do PCC. Dimenstein se adiantou e proferiu, de antemão, esse discurso. A culpa não é de uma autoridade responsável pelos aeroportos - a culpa é nossa, que não interrompemos nossas tarefas diárias para ir verificar a aderência da pista de Congonhas.

Cito o final de seu curto depoimento:

"Vivemos um clima de guerra civil nas cidades porque não se prestou a atenção na educação, na inclusão de jovens e no aperfeiçoamento da segurança. Morrem milhares de crianças por falta de condições básicas de saúde, fáceis de serem atendidas. Estamos vendo a volta de doenças como tuberculose. A cada dia, só na cidade de São Paulo, morre um motoboy, vítima não só dele próprio, mas também da selvageria da falta de controle.

"Se formos olhar porque somos um país tão potencialmente rico mas tão pobre, veremos que temos tragédias evitáveis apenas porque deixamos para depois o conserto de uma pista."

Mais uma vez, a lorota de que temos crimes violentos por falta de Educação - sugiro filmar uma conversa entre Lula e Marcola, com Pasquale, Fiorin e Bosi na platéia, para apostarmos quem estudou mais.

Deixamos para depois o conserto de uma pista? Eu nunca viajei de avião na vida, e por razões pessoais nem é algo que eu pretenda fazer tão cedo. Pagando - e caro - para que as autoridades façam seu papel, se algo dá errado, é culpa da autoridade, não minha.

Eu não posso demitir Waldir Pires. Lula pode. Eu não posso trocar o comando da Infraero. Lula pode.

Quando não se quer encontrar um culpado, apela-se para uma suposta culpa de todos. E assim, novamente, sai mais uma de calabresa sem culpar ninguém.

Agradeça a Lula por Congonhas!

A Câmara Congresso americano fez um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente da TAM. Lula fez 48 horas.

O Congresso brasileiro não fez um minuto de silêncio pois está de recesso. Nosso bolso agradece.

Lula, que todos elogiam, falou nos debates com Alckmin, duas vezes, que devemos agradecê-lo por Congonhas. Falou-se do superfaturamento de R$100 milhões na Reforma. Lula disse que a obra nem tinha sido paga. Mentira. Lula só sabe mentir, seus eleitores só sabem acreditar. Ele próprio disse que aguardava parecer do TCU - que só emite parecer depois de efetuado o pagamento. E o que o laudo do TCU mostrou? Superfaturamento.

Enquanto isso, Observatório da Imprensa continua a insistir que é culpa das empresas privadas, que há lógica que foi tudo culpa do enxame da classe média que resolveu enriquecer (80% das viagens aéreas feitas no Brasil são realizadas a negócios), que a "mídia golpista" esconde dados, como uma suposta crise em todos os aeroportos do mundo. Balela, nós vimos.

Reparem na arrogância de Lula. Vocês agradecem por Congonhas? Foi ele o eleito com uma esmagadora maioria de votos. Como ele diz, o telespectador pode ficar tranqüilo: não sobrará pedra sobre pedra e tudo será apurado. O que poderia ser apenas uma piada agora é um efeito macabro. Divulguem.



Mais política na tragédia

frase do dia: "A culpa não é do presidente Lula; a culpa não é do presidente Lula." - Walfrido Mares Guia

Conforme prenunciado na madrugada de ontem, setores da situação já enxergam, com olhares de kadetes paranóicos, golpismo em qualquer visão política que se dê sobre a tragédia do vôo da TAM. Estamos nos precipitando vendo o lado político da questão? Mais alguns fatos.

Mais de 50 minutos após o acidente, a Infraero ainda não sabia:
- o nº do vôo - pensou no 5018, vindo de Porto Alegre (era o JJ3054);
- o tipo de avião - talvez um Airbus 320 (A320);
- quantos passageiros estavam no avião - talvez 170, lotação máxima (176, na verdade, sendo 155 passageiros);
- se algum carro foi acidentado na pista da disputadíssima Washington Luiz.

Na segunda-feira, um dia antes do acidente, um avião pequeno já havia derrapado na pista, e um avião da própria TAM, deslizado.

A pista de Congonhas foi recentemente reformada. Os pilotos reclamavam da falta de aderência. Hoje concluiu-se que a pista estava incompleta e sem condições para manobras sob chuva.

Conforme publicado neste blog ontem, o Governo já havia sido avisado do problema dos controladores e seus "pontos cegos". O acidente da Gol, que matou 154 pessoas, completa 10 meses no dia 30. O sistema produziu duas grandes tragédias num intervalo de 10 meses.

No dia 22/06, a CPI do Apagão Aéreo cobrou de Waldir Pires diálogo com controladores, enquanto Lula "cobrou providências". O presidente da Infraero disse que o fim-de-semana "será complicado". Membros da CPI consideraram atitude do Governo, frente à crise, "preocupante".

Nessa quarta-feira, Lula convocou um reunião de emergência para debater o acidente.

ATENÇÃO: O que se discute em uma reunião "de emergência", 2 anos após relatos sobre a segurança do controle de tráfego, quase 10 meses após o acidente da Gol, 9 meses após o início do caos aéreo, um dia após o acidente da TAM? Como posar para as câmeras? Como será seu discurso tirando o seu da reta? Marta Suplicy estava na reunião? (não encontrei nenhum pronunciamento seu na internet até o momento) Alguém mais aposta que seu primeiro pronunciamento oficial poderá conter as mesmas palavras usadas no caos urbano do PCC, lembradas por este escriba ontem? Lula, envergonhado pela vaia no Maracanã, nunca pareceu envergonhado dos aeroportos.

Quantas vezes Lula deu um prazo para resolver a crise aérea?

A Veja dessa semana, em sua primeira matéria "central" (após as frases da seção Veja Essa), traz a chamada Um Buraco Negro Chamado Sivam, sobre os pontos cegos do controle aéreo. Sete páginas antes, há uma manchetinha avisando que Lula pode privatizar setor aéreo, com uma foto de um avião aterrissando em... Congonhas, com a legenda Congonhas: sem dinheiro privado, o caos continua.

Veja, JN, Fantástico, Folha, Estadão, O Globo, Zero Hora, A Nova Corja foram alguns dos veículos a chamar a atenção para os aeroportos, nos últimos meses. Não encontrei palavra sobre o caos numa Carta Capital, Caros Amigos ou Hora do Povo. O Observatório da Imprensa, seguindo afirmações governistas, disse que a culpa era do "crescimento econômico". Claro, senhores. É só pensar em como são tumultuados os privados aeroportos do Primeiro Mundo.

Agora, setores e imprensa governistas também insistem em enxergar golpismo. Está-se politizando o que é uma fatalidade ou ligando-se pontos que vêm sendo debatidos há meses, e vinham sendo até mesmo poucos dias antes da tragédia?

O "jornalismo" lulista está insistindo na comparação de duas imagens de aviões fazendo manobras na pista - um leva 11 segundos, enquanto o avião do acidente leva 3. A primeira providência de quem tem a fé no partido sobre qualquer circunstância, por mais sangrenta que seja, é querer retirar qualquer responsabilidade sobre seus trabalhadores incompetentes. Agora, apostam que foi um erro do piloto estar tão acelerado. Aparentemente, em velocidade de arrematação.

Para fazer uma rápida retrospectiva de frases:

"Relaxa e goza, porque depois você esquece todos os transtornos."
- Marta Suplicy, ministra do Turismo, em uma assustadora crise de dondoquice e sorrindo de satisfação

"A crise é devida ao crescimento econômico."
- Guido Mantega, ministro da Fazenda, encontrando o perigo na classe média, que insiste em pagar impostos

"Investimos pouco. (...) Pedimos paciência."
- José Alencar, vice-presidente, ex-ministro da Defesa

"A culpa não é do presidente Lula; a culpa não é do presidente Lula."
- Walfrido Mares Guia, no Jornal Nacional de ontem (quarta)